Sonhos Despedaçados

Certa vez alguém contou-me ter ouvido um comentário quando visitava em um cemitério no Brasil. As palavras ouvidas foram mais ou menos assim:

– Neste lugar não existem somente pessoas enterradas, mas juntamente com elas, muitos sonhos que não foram realizados.

Quanta verdade nessa afirmativa. As pessoas sonham e fazem planos. Muitos não conseguem atingir seus objetivos e então experimentam o sentimento de frustração e desespero. Lutaram, estudaram, trabalharam e a vida lhes pregou uma peça.

Vivendo fora do Brasil, não raro nos deparamos com pessoas desiludidas. Ainda jovens, deixaram o seu berço natal e migraram para outro lugar, desejosas e esperançosas em transpor barreiras e em construir um futuro melhor. Sonham com um futuro recheado de boas coisas: Casa própria, profissão, curso universitário, carro, casamento, família e tudo aquilo que a vida pode proporcionar. O problema, no entanto, é o encontro com uma realidade contrária, e nesse momento, provam o sabor amargo de um sonho despedaçado.

Lidar com isso não é fácil. A questão básica não é o sonho frustrado ou despedaçado, senão o alicerce em que esse sonho foi fabricado, uma vez que a sua construção se deu em estruturas de valores humanos absolutos. Eis o ponto a ser trabalhado: As pessoas pensam que para serem felizes, elas precisam conquistar. Pensam que se tiverem uma vida financeira boa, certamente experimentarão a felicidade. Pensam também, que se conseguirem comprar aquela casa ou apartamento, então, serão verdadeiramente felizes. Esse é o erro! Tudo que foi mencionado são valores humanos, e a felicidade não está em coisas ou bens e, quando alguém se frustra por não ter atingido o seu objetivo, sente-se inferior, menor e desprezível aos seus próprios olhos.

Essas pessoas precisam experimentar uma mudança de valores, mas isso só possível a partir de uma transformação do interior para o exterior. As pessoas, na maioria das vezes, não necessitam mudar as circunstâncias, mas elas mesmas. Veja bem: as frustrações ocorrem porque damos valor àquilo que não tem valor algum, em detrimento das coisas que desvalorizamos e desprezamos. Por exemplo: daqui a cem anos que diferença fará se você morou em uma mansão ou viveu num apartamento conjugado? Se você possuía uma Ferrari ou uma Brasília amarela? Nenhuma! Agora vou mostrar a você o que fará a diferença!

Em primeiro lugar é preciso saber que o ser humano é um ser espiritual e que, apesar da falência do corpo, o seu espírito continua vivendo. Ao entrar neste mundo, nu chegamos e nada trouxemos; ao deixar esta terra, nada levaremos. Somos criaturas de Deus vivendo num mundo decaído moralmente. Essa decadência veio porque o homem se afastou do Deus vivo pecando contra Ele. Com o afastamento de Deus, o homem buscou caminhos para preencher o seu vazio. Esses caminhos visam a satisfação da sua carne e não do seu espírito, por isto os valores humanos absolutos são centrados nas coisas desta vida. Mas não importa o quanto você pode ter ou ser, nada, absolutamente nada, pode preencher o mais íntimo do coração. Por isso, enfatizo que a felicidade não está nas coisas materiais e nem, tampouco, na realização de sonhos. Conheço muita gente que cresceu e conseguiu realizar os seus sonhos, mas continuam experimentando a infelicidade. O que necessitamos neste momento é escolher o caminho que nos conduz à transformação. Precisamos de uma mudança total do nosso coração, pois, só assim, poderemos enxergar a vida com outros olhos e não dependermos de “coisas” para sermos felizes. A Bíblia nos diz em 1 João 4:9 Foi assim que Deus mostrou o seu amor por nós: ele mandou o seu único Filho ao mundo para que pudéssemos ter vida por meio d’Ele. Deus é Pai e Ele nos ama. Ele se preocupa com você e, com toda a certeza, sabe dos seus “sonhos despedaçados”, sabe das suas dificuldades, dos seus problemas e também das suas carências. E porque Ele nos ama, enviou o seu único Filho para que pudéssemos ter vida abundante.

Essa vida abundante é que faz toda a diferença! Vida abundante fala de plenitude de vida. Fala de felicidade! É isso! Quando você convida a Jesus para morar em seu coração, não há espaço para “sonhos despedaçados”. O que há são promessas para a sua vida aqui, neste mundo, e também por toda a eternidade.

Para refletir: Se você é um cristão, que valores permeiam a sua vida? Os valores de Deus ou os do mundo? Se, contudo, você ainda não entregou a sua vida a Jesus, aproveite para fazê-lo agora, hoje. Certamente, você irá experimentar uma paz que transcende todo o entendimento e compreenderá que, tudo neste mundo, sem o Autor da vida, não faz o menor sentido.

Que o Deus de toda a graça te abençoe ricamente,

Pr. Natanael Gonçalves