…E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século (Mateus 28.20b).

Mateus conclui o seu livro com essa admirável promessa de Jesus, que em si mesma é uma gloriosa realidade. A introdução deste “compromisso” é muito enfática, pois a expressão traduzida por “e eis que” expressa uma vigorosa atenção. É como se Jesus dissesse: “Vejam! Eu estou sempre com vocês!” Devemos tomar nota disto e prestar atenção a este compromisso de Jesus. O mesmo Senhor que se manifestou como revestido de poder e autoridade suprema nos céus e na terra (verso 18), está sempre com cada um dos seus. Observe a abrangência do tempo e a continuidade, ou seja, em cada instante. Em meio às provas, aos sofrimentos, às tristezas e à dor Ele está ao nosso lado? Não! Ele não está ao lado. Ele está em nós! Não está próximo, o que já seria uma grande bênção, antes, Ele está presencialmente em cada um de nós, em cada circunstância e em todo momento. Sendo assim, a todo instante Ele dará a provisão de graça suficiente para qualquer necessidade, conduzindo a todos os seus, sempre em vitória. O Senhor ascendeu ao céu, no entanto a sua presença está continuamente com cada um dos seus verdadeiros seguidores porque, como Deus, é onipresente. Como homem, em sua dimensão humana, não podia estar em todos os lugares ao mesmo tempo, entretanto, em sua condição divina acompanharia aos seus continuamente. Além disso, a provisão mediante o envio do Espírito Santo, faria realidade à promessa de Sua presença no interior de cada um daqueles que criam (João 14.17-23). Por outro lado, a promessa de Jesus de estar conosco nos concede respaldo, isto é, poder e recursos necessários (Filipenses 4.13) para realização da Sua obra, a grande comissão (versos 19 e 20a). Este admirável e eterno Deus está conosco para ser o nosso Refúgio (Salmo 46.11). Pode ser que a escuridão do caminho pareça ocultar a Sua presença, mas saiba: Ele nunca está longe, pois vive em cada um de nós, cristãos comprometidos com Deus. A certeza de Sua presença, conforme a Sua promessa, se estende até a consumação do século. Isto significa até o final da nossa caminhada neste mundo, para, em seguida, estar eternamente na casa do Pai, gozando de Sua presença e comunhão (João 14.1-4; 1 Ts 4.16-17).

Este compromisso do Senhor com os seus filhos, traz alento a cada discípulo, pois ele é a confirmação da promessa de Deus: “Não te deixarei nem te desampararei” (Hebreus 13.5). Assim sendo, podemos estar contentes com o que temos no presente. O contentamento com o que se tem hoje, está na segurança da provisão para o que for necessário no dia de amanhã (Mateus 6.25-34). Pode ser que, em Sua soberania, alguns dos seus tenham que passar por perseguições e outros tenham que selar o seu testemunho de discípulo com a sua própria vida. Entretanto, mesmo nessa dificuldade extrema, o cristão goza da presença e companhia do Senhor e sabe que essa situação é uma concessão de Deus que responde a um propósito do Pai. A promessa de não deixar e nem desamparar, possui como sujeito a Jesus mesmo. É a reiteração da antiga promessa de Deus para os seus, expressada por meio de Moisés (Dt 31.6), e confirmada a Josué (Js 1.5). A promessa do Senhor apropriada por meio da fé se converte em expressão de confiança. Não pode haver temor para quem tem a certeza da presença e companhia de Deus em sua vida. Nas palavras de Paulo vemos: “Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Rm 8.31). Se o cristão entra no vale da sombra da morte, não deve temer mal algum porque o Senhor está com ele, mesmo no vale sombrio (Sl 23.4). Além do mais, os poderosos inimigos não poderão impedir a abundante mesa de bênção e de provisão (Sl 23.5). Já pensou nisso?

É bom saber que, em toda e qualquer situação, o Senhor está presente com os seus. Desta forma, tudo está garantido em todo tempo: em dias de força e de debilidade, na vitória ou na derrota, na alegria ou na tristeza, na juventude ou na velhice, na vida ou na morte. Todos os dias podemos gozar da admirável dimensão da promessa de Jesus e, note que a mesma é até a consumação do século. Quem assim é convicto, descansa confiante na Palavra empenhada do Senhor.

Para refletir: Uma vez que o Senhor está dentro de nós e vive em nós, por que orar pedindo, como muitos fazem: “Senhor vem ficar comigo?”

Pr. Natanael Goncalves