E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas (2 Coríntios 5:17).

C.H. Mackintosh definiu a pessoa que entregou a sua vida a Jesus: “O cristianismo é a vida de Cristo transmitida àquele que crê e, por consequência, Cristo habita nele e flui através dele”. Concordo inteiramente, pois essa vida foi desenhada por Deus e concebida para ser vista e sentida em todas as relações; seja em casa, na igreja ou no mundo. Ela também não se limita a certos dias da semana, mas sim, em todos os dias e em todo o tempo. Em momento algum, o cristão pode desligar-se da responsabilidade de “viver em Cristo”, posto que há um novo propósito de vida para ele. Neste sentido, lembro duas declarações de Paulo que se conectam de maneira consequente com o “estar em Cristo e ser uma nova criatura”. A primeira delas, está em Filipenses 1.21, quando ele afirma: Porquanto, para mim, o viver é Cristo… A segunda, em Gálatas 2.20: Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.

Um outro ponto tenho a destacar: a nova vida em Cristo deve estar em constante desenvolvimento. O Espírito Santo por meio de Pedro nos estimula: desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação (1 Pedro 2:2). É dever de todo cristão procurar crescer e se desenvolver com vistas à maturidade espiritual. Imagine um bebê que acabou de nascer e depois de uns dez ou vinte anos, ainda permaneça na mesma condição física. Isto não é natural e, se tal acontecer, algo está errado. Da mesma forma é a vida espiritual. Inicia-se a caminhada na vida cristã com o novo nascimento e, a partir deste ponto, o cristão deve se esforçar no seu crescimento. Como ele faz isto? Com o alimento da Palavra de Deus, com a oração e o envolvimento com a igreja. Quem nasceu de novo deve estar determinado a aprender mais de Cristo e se encher d’Ele, pois num coração cheio de Deus, não há espaço para a soberba, o orgulho, o desamor, a intriga e outras coisas semelhantes a essas, coisas, aliás, próprias de quem não nasceu de novo.  

Momento de Reflexão: Poderia falar mais sobre esse assunto, mas este não é propósito. Este pequeno texto é apenas um pedaço do bolo. Minha intenção é levar você a refletir sobre a sua vida cristã e, por isso, deixo algumas perguntas: Você já experimentou, verdadeiramente, o novo nascimento? Se a sua resposta for afirmativa, segue outra questão: você está determinado a crescer mais e mais em Cristo? Novamente ele, Pedro: antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo…. (2 Pedro 3:18). Percebe o imperativo? Como está a sua vida?

Pr. Natanael Gonçalves