limpando a vinha

A figura do agricultor.

João 15: 1-2, 8

Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda. Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos.

A responsabilidade do viticultor é cuidar das videiras, e, de acordo com Jesus, esse é o trabalho do Pai. É ele quem “limpa” ou poda os ramos para que possam produzir mais frutos. Observe a progressão: nenhum fruto (Jo 15:2), fruto, mais fruto, muito fruto (Jo 15:5, 8). Muitos cristãos pedem a Deus que possam dar mais frutos, mas não gostam do processo necessário de poda pelo qual devem passar em resposta a essa oração! O viticultor poda os ramos de duas maneiras: corta a madeira morta que pode servir para a proliferação de doenças e de insetos e remove partes ainda vivas, para que a vitalidade da planta não se dissipe, comprometendo a qualidade dos frutos. Na verdade, aprendendo um pouco sobre as coisas da terra, vemos que o viticultor deve remove cachos inteiros de uvas para que o resto da colheita seja de qualidade superior. Deus quer quantidade e qualidade. O processo de poda é a parte mais importante do cultivo, e os que cuidam disso sabem que se não forem habilidosos, podem destruir uma colheita inteira. Em alguns vinhedos, principalmente aqui na Europa, os “podadores” passam por treinamentos que duram um bom tempo, durante o qual aprendem exatamente onde cortar, quando cortar e até o ângulo exato dos cortes. O maior julgamento que Deus pode trazer sobre um cristão é deixá-lo por conta própria, permitindo que faça as coisas a seu modo. Pelo fato de nos amar, Deus nos “poda” e nos estimula a dar mais frutos para sua glória. Se os ramos pudessem falar, confessariam que o processo de poda é doloroso, mas também expressariam sua alegria por produzir com mais abundância e qualidade. O momento em que nosso Pai celeste mais se aproxima de nós é quando está nos podando. Por vezes, remove madeira morta que pode causar problemas; mas, com frequência, corta algumas partes ainda vivas que estão nos privando de vigor e crescimento espiritual. A poda não é apenas uma cirurgia que remove elementos nocivos. Também pode ser a remoção de coisas boas para que possamos desfrutar o que há de melhor. Sem dúvida, essa poda é dolorosa, mas também proveitosa. Talvez não gostemos dela, mas certamente é necessária. De que maneira o Pai nos poda? Por vezes, simplesmente usa a Palavra para nos convencer de nosso pecado e nos purificar (João 15:3, Ef 5:26, 27). Em outras ocasiões, precisa nos disciplinar (Hb 12:1-11). A dor é grande quando remove algo que consideramos precioso; mas à medida que a “colheita espiritual” é produzida, reconhecemos, então, que o Pai sabia o que estava fazendo. Quanto mais permanecemos em Cristo, mais frutos produzimos, e quanto mais frutos produzimos, mais o Pai nos poda para que a qualidade mantenha-se no mesmo nível que a quantidade. Se o ramo não receber cuidados, produzirá vários cachos, mas serão de qualidade inferior. Deus é glorificado não apenas por uma colheita mais abundante, mas também por uma colheita excelente.

Para refletir: A Palavra de Deus nos poda quando nos expomos a ela e entramos em linha de obediência. Quando não, seremos disciplinados. Contudo, a poda pela Palavra ou pela disciplina, como demonstramos, é necessária. Você está sendo podado (a)? Está frutificando? Note o final do verso 8, pois quem é discípulo de Jesus, frutifica!

No amor de Cristo,

Pr. Natanael Gonçalves

Obs.: Se Deus quiser, amanhã falaremos sobre os frutos.