Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra (Mateus 5:39).

Aparentemente Jesus entrava em conflito com a lei do “olho por olho, dente, por dente. Em vez de exigir direitos e procurar reparações, exortava a não resistir ao perverso, mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra. Esta é uma demanda contra o “eu, incapaz de perdoar a outro”. O “eu”, arrogante, sempre procura a autodefesa, pois é próprio da natureza humana exigir a vingança pessoal contra o ofensor.

No registro de Mateus, Jesus está se referindo à maior ofensa que poderia ser imposta naqueles dias contra uma pessoa. Este agravo se produzia ferindo, com um golpe da parte externa da mão, a face de outro. O gesto significava desprezo, e era dado sem causa e com o objetivo de ofender. O espírito humano impulsiona uma reação imediata para devolver o golpe recebido e com desejo de vingança. No texto, o Senhor está requerendo dos filhos do reino um espírito generoso, manso e que não se ofende com facilidade. Observe que este comportamento na vida do cristão pode converter-se em uma nova ofensa, posto que o Senhor diz que aquele que te feriu na face direita, ofereça-lhe também a outra.

Devemos também enxergar que o Senhor, em momento algum, sugere que os cristãos saiam pelo mundo a buscar os golpes dos incrédulos. Não se pode entender o ensinamento dando margens a um literalismo absurdo, mas claro está que esta atitude é compreendida de forma literal. Um cristão não busca a reparação da ofensa por si mesmo, mas entrega sua causa ao Senhor e espera n’Ele. Este ensino não era uma novidade do Mestre, mas também aparece nas palavras de Davi: Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz; e o teu juízo, como o meio-dia. Descansa no SENHOR e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos. Deixa a ira e abandona o furor; não te indignes para fazer o mal (Salmo37:5-8).

Sem dúvida, uma generosidade semelhante só pode vir de um coração regenerado, de quem, de fato, nasceu de novo. Assim, somente aquele possui uma mente em sintonia com o pensamento do Pai, um coração que bate em consonância com a graça de Deus, pode, em última instância, oferecer a outra face.

Momento de Reflexão: Já ouvi pessoas que se dizem cristãs afirmarem que não levam desaforo para casa. Já vi pessoas cristãs discutirem numa alta temperatura, tentando fazer valer os seus direitos. Será que estas atitudes condizem com o ensinamento de Jesus, registrado por Mateus? Como você reagiria ou reage ao receber uma ofensa?

No amor de Cristo,

Pr. Natanael Gonçalves