tentação 2

A segunda tentação

Mateus 4:5-7

Então, o diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo e lhe disse: Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus.

A segunda tentação é bem mais sutil. Dessa vez, Satanás também usa a Palavra de Deus. “Quer dizer que você pretende viver pelas Escrituras?”, insinua. “Então, permita-me citar um versículo da Palavra para ver se você lhe obedece!” Assim, Satanás o colocou no pináculo do templo, cerca de cento e cinquenta metros acima do vale de Cedrom, e citou o Salmo 91 :11 e 12, em que Deus promete cuidar dos Seus.

“Se crê nas Escrituras, pule! Vamos ver se o Pai está mesmo cuidando de sua vida!”

É importante observar com atenção a resposta de Jesus: “TAMBÉM está escrito” (Mt 4:7). Nunca devemos separar uma passagem do resto das Escrituras; antes, é preciso sempre “conferir coisas espirituais com espirituais” (1 Co 2:13). Podemos usar a Bíblia para provar praticamente qualquer coisa, se isolarmos os textos de seu contexto, transformando-os em pretextos. Ao citar o Salmo 91, Satanás havia omitido astutamente as palavras “em todos os teus caminhos”. O filho de Deus, que está dentro da vontade de Deus, desfruta a proteção do Pai. Ele cuida daqueles que estão andando nos “[Seus] caminhos”. Jesus refuta o inimigo com Deuteronômio 6:16: “Não tentarás o Senhor, teu Deus”. Tentamos o Senhor quando nos colocamos em situações que o obrigam a intervir de modo miraculoso em nosso favor. O diabético que se recusa a tomar insulina e diz que Jesus cuidará dele está tentando o Senhor. Tentamos a Deus quando procuramos fazê-lo cair em contradição com sua Palavra. É essencial que cada cristão leia todas as Escrituras e estude tudo o que Deus tem a dizer, pois tudo o que se encontra na Bíblia é proveitoso para nossa vida (2 Tm 3:16, 17).