Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas (Hebreus 2:1).

Muitos cristãos podem estar dormindo no berço esplêndido da vida espiritual. Apesar de tantas recomendações e admoestações da Palavra, a lâmpada desses reflete apenas uma luz tênue. O tempo urge e as palavras do escritor aos Hebreus soam como uma advertência para tantos que se conformam com uma vida espiritual insossa e sem muito sentido. No texto acima, vemos que a mensagem é intensa, isto é, se requer atentar com mais diligência. Esta disposição está relacionada com “as coisas que já temos ouvido”, ou seja, com o que Deus falou por intermédio do Filho (Hebreus 1:1). Isto aponta para a mensagem proclamada por Cristo, a saber, o evangelho: E, depois que João foi entregue à prisão, veio Jesus para a Galileia, pregando o evangelho do Reino de Deus (Marcos 1:14). Esta mensagem de Jesus, foi recebida diretamente pelos apóstolos e transmitida primeiro por tradição oral e, depois, de forma escrita (1 João 1.1,3,4).

A mensagem do evangelho não está restrita somente ao plano da salvação e ao modo de recebe-la, mas também envolve os princípios estabelecidos para a vida do cristão. Tudo o que foi ensinado por Cristo, deveria ser anunciado ao mundo depois da sua morte e ressurreição; mas essa proclamação da mensagem demanda obediência por parte daqueles que creram (Mateus 28:20; Atos 1:8). Da mesma maneira que a mensagem profética do Antigo Testamento procedia de Deus e era comunicada aos profetas pelo Espírito (2 Pedro 1:21), assim também a mensagem do evangelho tem procedência divina, a qual foi entregue pelo Senhor aos apóstolos (Gálatas 1:11-12).

O evangelho, com todo o seu conteúdo de doutrina, é um depósito sagrado para guardar com zelo quanto ao seu conteúdo (Gálatas 1:8), e assim sendo, cada cristão deve guardar esse depósito. Quando não se presta atenção com mais diligência à mensagem do Evangelho, Satanás introduzirá seus mensageiros com ensinamentos distorcidos, os quais produzirão inquietação, perturbação e perversão da fé (Gálatas 1:7). Por outro lado, quem não dá atenção diligente à mensagem do Filho, pode deslizar. A ideia do termo é a de um barco à deriva levado pelo vento com o risco de bater nas rochas e afundar (Efésios 4:14).

Essa advertência é tão necessária hoje, como antes. Há males que rondam continuadamente os cristãos e a igreja. Era assim no passado e é assim hoje também. Por exemplo, o liberalismo teológico, de modo bem sutil, procura distorcer as Escrituras fazendo com que os crentes em Cristo duvidem de sua inspiração e inerrância. Outro exemplo está naqueles que consistem em adicionar à Palavra, mandamentos de homens, tais como: não toques, não proves, não manuseies. Esses ensinamentos possuem aparência de piedade, mas não têm valor algum contra os apetites da carne (Colossenses 2:20-23). Em resumo, podemos dizer que a desvalorização da mensagem do Senhor Jesus, se dá igualmente pela diminuição ou pela incorporação à Palavra. Por fim, para que a mensagem fique marcada, reforço a advertência do perigo que o autor aos Hebreus faz a todos: para que, em tempo algum, nos desviemos delas.

Momento de Reflexão: Quem não atenta diligentemente à Palavra de Deus, está correndo um perigo muito grande, conforme exposto acima. Você é daqueles que ama as Escrituras? Que significado tem a Palavra da verdade para você? No salmo 138, verso 2, o salmista afirma que Deus engrandeceu a Sua Palavra acima do Seu nome. Ao tomar conhecimento disso, que peso tem a Escritura para você?

Para sempre em Cristo,

Pr. Natanael Gonçalves