decisão

Propostas da Sabedoria – Parte 3 

O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência (Provérbios 9:10).

  1. A Sabedoria convida a viver (Pv 9:1-18) 

Em vez de ir aos lugares de maior movimento na cidade, a Sabedoria fica em casa e oferece um grande banquete. Observamos os preparativos nos versículos 1, 2. Neles, vemos a Sabedoria construir uma casa espaçosa (“sete colunas”), e depois preparar um banquete suntuoso. A mesa seria posta com inúmeras iguarias e também com vinho. Porém, a presença de vinho à mesa não deve ser interpretada como um endosso divino para o consumo de bebidas alcoólicas. O vinho era parte normal das refeições em Israel, mas em momento algum a Bíblia aprova a embriaguez (20:1; 23:29-35; 31:4-7).

Convite (versículos 3-9). 

Em vez de ela própria sair, como nos outros dois “convites”, desta vez a Sabedoria envia suas servas para os lugares mais altos da cidade, a fim de convidar as pessoas para o banquete. Esta passagem não fala de um convite preliminar. As servas dizem apenas: “Venham imediatamente!” Observe que seu convite é dirigido a um grupo de pessoas: os simples (Pv 9:4). O primeiro convite da Sabedoria foi para os néscios, os escarnecedores e os loucos (1:22). Os escarnecedores riram dela, de modo que seu segundo convite foi apenas para os néscios e loucos (8:5). Mas os loucos rejeitaram a sabedoria de Deus, de modo que, neste terceiro convite, ela chama apenas os néscios (“simples”) para o banquete. É arriscado rejeitar o convite de Deus, pois nunca sabemos se é nossa última chance de participar dele (Lc 14:24). É evidente que, quando os néscios aceitam o convite, isso implica deixar para trás sua “turma”, todavia os escarnecedores e loucos tentam convencê-los a ficar (Pv 9:6-8). Os pecadores rejeitam a repreensão e a reprovação, mas os sábios aceitam ambas e se beneficiam delas. Os insensatos, escarnecedores e loucos preferem fazer as coisas a seu modo e ouvir os outros dizerem que estão certos, mas os sábios querem ouvir a verdade. Ensine os sábios, e eles aceitarão a verdade e se tornarão ainda mais sábios; tente ensinar os insensatos, e eles rejeitarão a verdade e se tornarão ainda mais insensatos.

Celebração (versículos 10-12). 

O que recebemos quando aceitamos o convite da Sabedoria e comparecemos ao banquete? Em primeiro lugar, crescemos em nossa reverência pelo Senhor e nos aprofundamos em nosso conhecimento do Santo (v. 10). Se crescemos em nosso conhecimento de Deus, mais aguçado se tornará o nosso discernimento com relação às decisões da vida. Além disso, a Sabedoria promete dar vida longa (v. 11) e encher nossos dias e anos de experiências ricas da graça de Deus. O Senhor quer acrescentar anos a nossa vida e vida a nossos anos, e Ele o fará, se obedecermos à Sua sabedoria. O versículo 12 lembra que o Senhor deseja construir um caráter piedoso em nós e que não podemos tomar esse caráter emprestado de outros nem transferi-lo para outros. Trata-se de uma questão individual, que implica decisões individuais. Pertencer a uma boa família, frequentar uma igreja fiel ou estudar nos melhores estabelecimentos de ensino não garante a construção de nosso caráter. O caráter é construído com base nas decisões, e, quando estas são erradas, criam um mau caráter.

Condenação (versículos 13-18). 

O capítulo encerra com um vislumbre da prostituta (Loucura), enquanto chama os mesmos néscios e os convida para sua casa. Porém, se aceitarem seu convite, em vez de um banquete, participarão de um funeral – o deles! No capítulo 5:15-18, Salomão compara as alegrias do amor conjugal com beber água pura de uma fonte refrescante, mas a Loucura (a adúltera) oferece “água roubada” da fonte de outra pessoa. Deus ordenou que o casamento fosse uma “cerca” ao redor da fonte, para que ninguém a poluísse. “Não adulterarás” (Êx 20:14) nunca deixou de fazer parte da lei de Deus. Em se tratando de possuir vida eterna e de viver de modo agradável a Deus, não há meio-termo.

Para refletir: O homem pode aceitar o convite ou recusá-lo, obedecer à sabedoria ou a rejeitar. Aqueles que se dizem neutros (em cima do muro), na verdade, estão rejeitando a Palavra tanto quanto aqueles que a recusam completamente. “Quem não é por mim é contra mim” (Mt 12:30). Qual será sua escolha: um banquete ou um funeral?

Que o Senhor abençoe o seu coração,

Pr. Natanael Gonçalves