pastor1

Instruções aos líderes da igreja – Parte Final

1 Pedro 5.1-5: Aos presbíteros que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: apascentai o rebanho de Deus que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória. Semelhantemente vós, jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. 

Hoje, ao finalizar o comentário dos cinco primeiros versos do capítulo 5, podemos perguntar: O que Pedro tinha em mente ao se dirigir aos líderes da igreja local? Para responder a essa indagação, verificamos, como premissa, a sua preocupação com as ovelhas. Isso fica evidente ao dar instruções aos pastores do rebanho. Ele mesmo, sendo um pastor (João 21.15-17), sabia do que estava falando, mas sob a inspiração do Espírito Santo, mostra algumas características que devem fazer parte de quem exerce o ministério. Vejamos:

1) O Pastor deve andar com Cristo (verso 1).

Pedro se baseia em sua própria experiência para escrever aos crentes da Ásia Menor. Ele presenciou os sofrimentos de Cristo e conhecia, em primeira mão, que nossas aflições não são maiores que as de nosso Senhor Jesus. O apóstolo, a esta altura, já contava com mais de sessenta anos e havia trabalhado duro para guiar os cristãos, uma vez que sempre recordava as palavras de Jesus: “apascenta as minhas ovelhas” (João 21:15-17). Também, quando esteve com Cristo no Monte da Transfiguração, experimentou “a glória que há de ser revelada.” As lições que ministra sobre humildade refletem o que Jesus ensinou aos discípulos sobre liderança em Lucas 22:24-30 e outras passagens. O pastor que está em comunhão todos os dias com Cristo, terá muita sabedoria e experiência para edificar aos demais. O líder necessita estar crescendo constantemente em seu conhecimento da Palavra de Deus e da doutrina. Há de ser uma pessoa cheia do Espírito Santo e que demonstre, na prática diária, seu conhecimento do Altíssimo. Deve ser um exemplo de maturidade espiritual .

2) O pastor deve apascentar o rebanho desinteressadamente (verso 2).

A prioridade do pastor é apascentar o rebanho. É sua a responsabilidade de alimentar, proteger, guiar, apoiar aos débeis e sarar os feridos. Somando-se a isso, devem exercer a liderança e o espírito de serviço que se requer para cuidar do rebanho. Exige-se do pastor ter um coração que pensa primeiro nas necessidades do rebanho e não em sua comodidade pessoal. 1 Timóteo 5:17-18 ensina que os pastores que se dedicam ao ministério, devem receber sustento econômico digno. Apascentar o rebanho requer tempo.

3) O pastor tem que ser o exemplo do rebanho (verso 3).

Possivelmente uma das maiores tentações do líder é o acostumar-se a dirigir e mandar. Pedro refuta essa atitude ao afirmar que o pastor não deve exercer “domínio” sobre o seu rebanho. Jesus ensinava que o líder espiritual não age assim. “Porque o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos” (Marcos 10:45). O pastor de ovelhas deve caminhar diante delas para que o sigam. Os membros da igreja farão o mesmo porque verão nele o que eles querem ser, pessoas moldadas pelo espírito de Deus. 

4) O pastor deve buscar agradar a Cristo, o Príncipe dos pastores (verso 4).

Mesmo neste último capítulo, Pedro segue desenvolvendo os temas do sofrimento e glória. Em 5:1 falou dos sofrimentos de Cristo e da glória de sua segunda vinda. Aqui menciona que o trabalho do pastor é como um sacrifício que se oferece pelos outros. Depois virá a coroa incorruptível de glória e o Príncipe dos pastores, Jesus, será quem a dará aos pastores que se entregaram fielmente à tarefa de servir como o Senhor o fazia. A meta é seguir o exemplo e obedecer o chamamento que recebemos d’Ele.

5) O pastor ensina a humildade (verso 5).

O exemplo dos pastores, por si só, instrui a todos os membros da igreja a serem humildes. Observamos que o autor vem enfatizando o tema da submissão, desde o capítulo dois. A frase “revesti-vos de humildade”, parece refletir o exemplo de Cristo quando cingiu-se de uma toalha para lavar os pés dos discípulos (João 13:4-17). 

Os primeiros leitores viviam em uma sociedade muito sensível às distinções sociais. Todavia, o que era válido para aqueles cristãos da Ásia Menor, é válido também para nós que vivemos no século XXI. A humildade é o contraponto do orgulho e da soberba, mas não se deve pensar que o servo humilde não esteja revestido de autoridade. Não se pode confundir.

Para refletir: Uma vez que o texto é dirigido aos pastores, fica aqui uma dica para o rebanho meditar: No seu entendimento, qual é a tarefa mais difícil de um líder? De que modo os membros da igreja podem facilitar as tarefas e responsabilidades dos pastores? O que mais você aprecia em seu pastor? Você tem demonstrado agradecimento?

No amor de Cristo Jesus, o Supremo Pastor,

Natanael Gonçalves