pastor

Instruções aos líderes da igreja – Parte I

1 Pedro 5.1-5   Aos presbíteros que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: apascentai o rebanho de Deus que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória. Semelhantemente vós, jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.

Começo o tópico, citando Paulo a Timóteo que diz: “Se alguém deseja o espiscopado, excelente obra deseja” (1 Tm 3:1). O tema do nosso estudo de hoje que aborda os cinco primeiros versículos do quinto capítulo de 1 Pedro, versa sobre a função, responsabilidade e deveres do pastor. Nela, focamos, rapidamente, algumas características desse ministério. É útil para quem aspira, para quem já está exercendo o pastorado e para toda a igreja. Inicio com uma nota introdutória para depois passar às demais observações.

As igrejas do Novo Testamento imitaram o costume dos judeus de reunir-se nas sinagogas. Os líderes judeus eram chamados de “anciãos.” No original “presbuteros” que significa ancião ou mais velho. Destarte, os líderes eram chamados de anciãos porque possuíam maturidade e experiência e se destacavam na comunidade. As novas igrejas também reconheciam como dirigentes um grupo de “anciãos”. O NT usa o termo ancião, presbítero e bispo de modo permutável. Bispo era usado entre os gregos (1 Tm 3:1, Tt 1:7), e o vocábulo significa aquele que vê, supervisiona e vela pelo bem estar da comunidade.

  Ancião = Bispo = Pastor 

A função espiritual desse grupo de homens se vê com mais clareza no verbo “apascentar” e se destaca no uso do nome “pastor” (At 20:28; 1 Pedro 5:2). Os membros são as “ovelhas” e o pastor cuida do rebanho. Esta imagem dos líderes como pastores chegou ao judaísmo e ao cristianismo através dos profetas do Antigo Testamento. Os reis e os sacerdotes eram os pastores do povo judeu. O pastor de ovelhas no mundo do oriente médio possuía importantes tarefas: defendia os animais de seus inimigos naturais, tais como lobos e leões e os guiava aos campos mais férteis e de volta ao redil, procurava o alimento e água necessários, sarava os enfermos e buscava os perdidos. É muito instrutivo comparar essas funções com as responsabilidades dos pastores espirituais.

Nesta seção, Pedro se dirige a equipe de homens que possuem a liderança da igreja local sem importar o título que se use para designá-los. Pode incluir ao que é chamado pastor e aos que são seus associados. Podem ser pessoas ordenadas ou não. O mais significativo é que, segundo o Novo Testamento, todos eles são responsáveis pelo bem-estar espiritual dos membros de sua igreja. São os que pastoreiam o rebanho e devem cumprir com os requisitos que aparecem em 1 Timóteo 3:1-7 e Tito 1:3-9. Dessa forma, dirigirão os ensinamentos aos membros conforme os distintos dons espirituais que possuem.

Uma palavra para os líderes: Talvez você já ouviu a expressão: “é melhor mexer com bicho do que com gente.” De fato, o ser humano é complicado, mas é bom lembrar que Deus se importa com gente e que o Espírito Santo foi derramado sobre gente. Então, se você foi chamado para ser um líder do povo de Deus, medite no que foi dito e espere a próxima publicação, pois veremos algumas facetas do caráter do pastor.

Que o Senhor te abençoe,

Pr. Natanael Gonçalves