bom_exemplo

Nas Pisadas do Senhor – Parte Final

Hoje findamos o capítulo dois com os comentários a seguir. É bom destacar que as observações de Pedro, podem levar muitos cristãos a repensarem suas vidas e comportamentos. Se não, vejamos:

O Modelo: Nosso Salvador – 2:21-25 

IPedro 2.21-25: Porque para isto sois chamados, pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas, o qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano, o qual, quando o injuriavam, não injuriava e, quando padecia, não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente, levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados. Porque éreis como ovelhas desgarradas; mas, agora, tendes voltado ao Pastor e Bispo da vossa alma.

Ninguém chega a ser cristão por seguir o exemplo de Jesus. Antes de ser um seguidor de Cristo, precisa passar pela experiência do novo nascimento, o qual é precedido pelo arrependimento. Quando nascemos de novo, temos o Espírito de Deus vivendo em nós. Então, Ele nos ajuda e capacita para que possamos ser imitadores de Cristo. Nesta passagem, temos alguns aspectos de Seu comportamento modelo. Por exemplo:

O juízo, a sentença condenatória, as injúrias e a crucificação de Jesus, são os atos mais injustos que a história registra. Ele foi o único perfeito, santo e obediente a Deus em todos os detalhes. Não cometeu pecado. Ele demonstrava amor, compaixão e se importava com os homens. Contudo, juízes humanos e pecadores o condenaram à morte.

Jesus suportou tudo para deixar-nos exemplo – verso 21 

Fomos chamados por Deus para seguirmos o exemplo de Cristo o qual padeceu com paciência mesmo quando não merecia o sofrimento. Nenhuma injustiça se pode comparar com a que Jesus sofreu. Você não acha que deveríamos sentir vergonha quando reagimos com veemência ao padecer uma injustiça? 

O termo exemplo era um vocábulo que os gregos usavam para referir-se às letras bem escritas nos cadernos dos alunos na escola. Eles tinham que copiar as letras exatamente como as de um modelo para aprender a escrever bem. O cristão, como bom aluno e discípulo de Cristo, tem que copiar exatamente seu comportamento para aprender na escola de Deus e sair aprovado.

Nenhuma injustiça se pode comparar com a que Cristo sofreu. Devemos sentir vergonha quando nos irritamos porque padecemos uma injustiça. Não deveríamos recordar Mateus 5:10a? bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça”. 

Jesus suportou porque confiava num Justo Juiz – verso 23

Jesus nunca amaldiçoou nem ameaçou seus detratores. Quando a Palavra nos diz que Ele entregava-se Àquele que julga retamente, por que não fazemos o mesmo? Compare o texto de Romanos 12:17-21.

Jesus suportou pelas metas que tinha diante de Si – versos 24-25. 

O Senhor resistiu ao sofrimento e a humilhação porque não se esquecia dos objetivos que possuía. Estava diante dele a nossa salvação. Padeceu e morreu para levar sobre si mesmo o castigo por nossas transgressões, e para que fossemos libertos do domínio do pecado e vivêssemos em retidão.

E nós? Temos como objetivo tirar alguém do abismo com o nosso testemunho?

Por último, há algo interessante no verso 25: Os títulos dados ao Senhor. Pastor e Bispo das nossas almas. O que isto significa? Ao termo pastor, nós já estamos bem afeitos, no entanto, o vocábulo Bispo, derivado do termo grego “episkopos”, que é um termo polivalente, quer dizer: “protetor da segurança pública, guardião da honra, supervisor da correta educação e da moral e administrador da lei e da ordem”.

Assim que, chamar ao Senhor de “episkopos” de nossas almas quer dizer que Ele é nosso Guardião, Protetor e Guia. Ele é o nosso Pastor e Protetor de nossas almas. Ele cuida de nós com Seu amor, nos protege com Seu poder, e nos guia pelo bom caminho com Sua sabedoria. Jesus assinalou que nem todo que me diz Senhor, Senhor, entrará no Reino dos Céus. Por que Ele falou isso? Não adianta dizer que Ele é Salvador, Pastor, Bispo e Senhor, se não há submissão à Sua Palavra. Medite nisso!

Refletindo: Você está vivendo uma experiência de injustiça? Que faria Jesus nesta circunstância? Se Jesus é o nosso “Pastor e Bispo”, que benefício traz à sua vida pessoal, saber disso?

No amor do Senhor de todo o universo,

Pr. Natanael Gonçalves