seguir-a-jesus

Nas Pisadas do Senhor.

Nestes tempos de caminhada com o apóstolo Pedro, vamos aprendendo o que o Espírito de Deus nos ensina. Há diretrizes para o cristão em todas as áreas, e o ensino é sempre atual ultrapassando todo tipo de barreira. Vamos ao texto de hoje.

1Pedro 2.18-25: Vós, servos, sujeitai-vos com todo o temor ao senhor, não somente ao bom e humano, mas também ao mau; porque é coisa agradável que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, padecendo injustamente. Porque que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas, se fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus. Porque para isto sois chamados, pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas, o qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano, o qual, quando o injuriavam, não injuriava e, quando padecia, não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente, levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados. Porque éreis como ovelhas desgarradas; mas, agora, tendes voltado ao Pastor e Bispo da vossa alma.

Parece que Pedro dirige esta passagem aos escravos cristãos. Nós desconhecemos a escravidão, porém sabemos que ela era uma realidade. Lemos nas Escrituras sobre ela, e até bem pouco tempo atrás, sabemos a respeito de escravidão no Brasil. Em várias partes do mundo contemporâneo ainda se pratica tal coisa. Entretanto, Pedro usa o termo de forma indefinida dando a entender com isso que não está se dirigindo unicamente aos escravos, mas a todos os leitores.

Na passagem de hoje, Pedro destaca a Jesus como o modelo perfeito de servo. Os ensinos principais se desenvolvem em duas etapas: “as exortações aos servos” e o “exemplo de Jesus.”

1a etapa 2.18-20: O servo aprovado se sujeita mesmo quando sofre injustamente.

2a etapa 2.21-25: O servo é chamado para seguir o exemplo de Cristo, ou seja, andar nas pisadas do Senhor.

O imperativo: A Sujeição – 2:18-20

Por todas as partes do mundo, existem mulheres e homens que vivem debaixo da opressão e da injustiça, que não gozam dos direitos, opções e proteção legal que se esperam na atualidade. Entre eles estão muitos cristãos.

O verso 18 ensina as atitudes e conduta que devem caracterizar o cristão: “o respeito e a obediência.” Nossa responsabilidade junto ao chefe imediato ou ao patrão, não se limita aos casos em que ele é amável e compreensível, tampouco se limita às circunstâncias em que suas ordens e disposições são justas e corretas. Vejamos Lucas 6.32-33:

E, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Também os pecadores amam aos que os amam. E, se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que recompensa tereis? Também os pecadores fazem o mesmo.

O autor continua orientando os cristãos para que vivam de modo correto no meio de uma sociedade que não os aceita. Ele os ensinou a serem leais e a servir com entusiasmo. Chamo atenção que estes versículos contradizem o ensino tão popular na atualidade onde se afirma que Deus promete prosperidade, saúde e bem-estar ao crente que O obedece e deposita sua confiança n’Ele. 

A fórmula que Pedro estabelece nos versos 18-20 é esta: OBEDECER + SOFRER + SUPORTAR = SER APROVADO (Romanos 8:17). Esta fórmula demonstra que a meta do cristão é ser aprovado por Deus, ainda que não seja pelos homens.

Para refletir: Você se lembra de alguma vez passar por alguma experiência com um patrão injusto? Quais são as atitudes que normalmente surgem nestes casos? Se deparasse diante de uma circunstância semelhante, como seria seu procedimento?

Continuamos na próxima publicação. Enquanto isso, medite a respeito do que leu e aprendeu com o apóstolo Pedro.

Em Cristo Jesus, nosso modelo,

Pr. Natanael Gonçalves