felicidade

O Segredo de uma vida feliz – Parte I

O mundo enxerga os filhos de Deus com a lupa do ódio, da crítica e da hostilidade. Uma grande maioria dos cristãos, no entanto, tenta se conformar ou parecer com este mundo, para não sentir o desprezo ou, talvez, quem sabe, ganhar a simpatia. Os padrões do mundo tem sido assimilados, mas receio que essa grande maioria descobrirá um pouco tarde que não necessita da simpatia do mundo para ser feliz. Devemos seguir os princípios da Palavra. É isso que Pedro nos apresenta no texto de hoje.

1 Pedro 3.8-12: E, finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis, não tornando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, sabendo que para isto fostes chamados, para que, por herança, alcanceis a bênção. Porque quem quer amar a vida e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano; aparte-se do mal e faça o bem; busque a paz e siga-a. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos, atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem males

Pedro põe os olhos na comunidade cristã, quando ele diz: “todos”. A partir daí, menciona 5 coisas que devem caracterizar os filhos de Deus. Meu propósito é levar você a meditar sobre cada um deles no dia que se chama hoje.

1)  Sede todos de um mesmo sentimento: Não significa que todos devem ser de uma só opinião, mas sim, de uma mesma atitude e propósito. É também a conotação de viver em harmonia ou ter uma unidade espiritual. 


2)  Compassivos. Pedro não fala do sentir “pena”, mas sim da capacidade de imaginar-se na situação do outro. 


3)  Amando os irmãos. Esse amor evidencia a preocupação, o carinho e o afeto. Como você se relaciona com os irmãos? 


4)  Entranhavelmente misericordiosos. A misericórdia deve estar nas entranhas dos cristãos. É o oposto de ser duro e inflexível em situações de relacionamentos. 


5)  Afáveis ou de espírito humilde. O contrário do orgulho, da soberba e da arrogância. A ideia aqui é que o cristão, humildemente, reconheça a todos não como inferiores a ele.

No verso 9, o apóstolo menciona uma atitude que deve seguir de forma natural aquelas já citadas no verso 8. Fazer o bem pelo mal ou injúria recebida. Ele usa a palavra “bendizendo”, que significa “falar bem.” O contraste se estabelece com aquele que “maldiz” ou “fala mal”. Pedro reforça esta ação, dizendo que “para isto fostes chamados.” Somos conclamados a agir assim, pois este é o sinal de todos aqueles que imitam a Cristo. Por último, a ênfase recai sobre “para que herdeis a bênção”.

Refletindo: Por que é importante o cristão viver em harmonia? Imagine uma pessoa com temperamento explosivo. Você acha que ela poderia desenvolver uma atitude de misericórdia para com os outros, bem como um espírito humilde? O poder do evangelho pode transformar um temperamento explosivo?

Na próxima publicação falaremos sobre versos 10 a 12. Há tremendas lições para cada um de nós. Fique atento (a)!

No amor de Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves