quem-somos_3a

Quem Somos? – Parte Final

1 Pedro 2:9-10

Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.

Dando continuidade à publicação anterior, seguimos comentando mais duas afirmações do apóstolo Pedro a nosso respeito, como igreja. Não obstante, a despeito das prerrogativas, essas afirmações são carregadas de responsabilidades. Portanto, abra o seu coração e permita que o Espírito Santo ministre à sua vida.

  3) Nação Santa.

Deus disse à nação de Israel: Sede santos, porque eu sou santo! Israel era responsável por obedecer os mandamentos e demonstrar a santidade divina. Através de suas vidas e comportamento, o mundo compreenderia que Jehová era o único Senhor, santo e verdadeiro. Todavia, em muitas épocas, as nações que os rodeavam só observavam neles o pecado e não viam em suas vidas o caráter do Criador.

Pedro, ao dizer que somos nação santa, indica que o nosso Pai tem dado à igreja o privilégio e a responsabilidade de cumprir esse propósito. Assim sendo, devemos mostrar ao mundo que o Soberano Deus é santo e verdadeiro, para que os homens creiam n’Ele.

  4) Povo Adquirido.

Pedro disse que pertencemos ao Altíssimo. A maioria do leitores desta carta não eram hebreus. Em tempos antigos, Deus havia dito que os gentios não eram “povo” porque não pertenciam aos que Ele havia escolhido (povo de Israel), mas agora “sois povo” (v.10). Por que somos povo? Porque Cristo nos comprou com o seu sacrifício na cruz. Por causa de Jesus, o Pai nos considera como Seu povo especial.

Os crentes da Ásia Menor viviam no meio de um povo que os odiava. Eles estavam sofrendo por diversas situações difíceis que atravessavam. Pedro, então, lhes escreve com o propósito de animá-los e, nessa carta, desperta a memória dos irmãos afirmando que Cristo foi rejeitado pelos homens, mas Deus O elegeu e O exaltou. Da mesma maneira, nós fomos feitos credores de muitos privilégios porque fomos eleitos para ser Seu povo e Seus sacerdotes.

Os versos 9 e 10 nos ensinam que somos povo adquirido, nação santa, linhagem eleita! O problema é que, como membros do corpo de Cristo, temos muitas vezes, falhado. A começar pelas relações internas, entre nós. Não temos demonstrado amor, ao contrário, muitos têm usado a língua para destruir a obra que Deus começou a realizar na vida de alguém. Criticamos, reprovamos, censuramos e depreciamos, julgando-nos superiores ou melhores do que os outros…

Jesus, em sua oração sacerdotal (João 17:21-23), manifesta o seu desejo para a igreja: UNIDADE! Os crentes em Cristo devem se unir em torno de um mesmo propósito e com um mesmo coração, para que o mundo possa ver em nós a manifestação do Seu amor. Somos linhagem de Deus e vamos viver como mundanos? Somos povo adquirido por preço de sangue e vamos viver ferindo o coração do nosso Pai Celestial? Somos nação santa e vamos viver como desobedientes e profanos?

Para refletir: É propício repetir o que já disse várias vezes: Temos examinado o nosso coração? Podemos submetê-lo à balança justa do Juiz de toda a terra? Passamos neste teste? Esta questão nos leva a outras: Estamos desempenhando a nossa responsabilidade como povo de Deus? Estamos impactando o mundo com as nossas vidas?

Que o Senhor toque o seu coração, é a minha oração.

Pr. Natanael Gonçalves