Submissão 3

Submetendo-se a Deus – Parte I

1 Pedro 5:6-14 Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá. A ele seja a glória e o poderio, para todo o sempre. Amém! Por Silvano, vosso fiel irmão, como cuido, escrevi abreviadamente, exortando e testificando que esta é a verdadeira graça de Deus, na qual estais firmes. A vossa co-eleita em Babilônia vos saúda, e meu filho Marcos. Saudai- vos uns aos outros com ósculo de caridade. Paz seja com todos vós que estais em Cristo Jesus. Amém!

As provas e os sofrimentos provocam dúvidas e questionamentos. Quando passamos por situações que suscitam esses sentimentos, indagamos: “Por que o Senhor permite isso?” Essas atitudes podem levar- nos a queixas, desenvolver a amargura e, por fim, à rebeldia contra o Criador. O cristão submisso ao Senhor aceita a Sua vontade com humildade. Nosso Pai Celestial é sábio e conhece o que é melhor. A poderosa mão divina é suficiente para proteger-nos dentro do forno da prova ou tirar-nos dele; Ele sabe como e quando exaltar-nos. Seu tempo é perfeito!

Ser humilde é não questionar a vontade do Soberano do Universo nem exigir que os nossos desejos sejam atendidos. É confessar que, ainda que não se entenda tudo, seguimos confiando somente nele.

Em caminhos paralelos à rebeldia, viaja a ansiedade. Todavia, a resposta a ela é a confiança no Altíssimo. Veja bem: quando estamos diante da ansiedade, devemos lançá-la sobre o Senhor, porque Ele tem cuidado de nós. Compare a exortação e a promessa de Filipenses 4.6-7:

Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.

Em outras palavras, Pedro está dizendo aos seus leitores: “Não permitam que a ansiedade se torne um obstáculo à sua fidelidade a Deus.” O objetivo não é sobreviver, mas conduzir-se com santidade e retidão dentro de uma sociedade hostil. Devemos impactar o mundo com o testemunho da fé e da boa conduta.

O verdadeiro adversário (versos 8-9).

Nem todo o problema está à vista dos filhos de Deus. Os cristãos da Ásia Menor pensavam que seus adversários fossem os homens que os rodeavam. Pedro, no entanto, enxerga mais à frente, recordando o que Jesus lhe disse: “Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo” (Lucas 22:31). Pedro negou a Cristo três vezes e, naquela ocasião, o apóstolo também estava no meio de pessoas hostis que lhe acusavam, por isso mostrou covardia e caiu. Não obstante, o inimigo não era o homem, mas um ardil do diabo.

É considerável que Pedro, ao terminar a carta, o faz tecendo instruções sobre Satanás. Paulo faz o mesmo em Efésios 6:10-20. Ambos os apóstolos definem deveres significativos e difíceis para os cristãos, porém, é bom observar que, quando são cumpridos, frustrarão os propósitos do diabo e fortalecerão a igreja. O grande inimigo da fé porá todo o obstáculo para que o seguidor de Cristo não os cumpra, contudo, é dever de todo cristão, resistir seus ataques para poder submeter-se, completamente, à vontade de Deus.

Pedro fundamenta sua exortação em sua própria experiência. Satanás busca aqueles que não o consideram como adversário e nem reconhecem o seu poder. Busca os autossuficientes, os que não pensam com sobriedade nem velam em oração. A resistência que temos de lhe impor, é a fé. “A poderosa mão de Deus” é nossa única esperança. Levemos ao Senhor toda nossa ansiedade e debilidade, pois Ele é Todo-Poderoso para proteger-nos e guiar-nos em meio à senda de lutas e provas. Um motivo de ânimo é que o crente não está só. Os padecimentos e armadilhas que o diabo infligiu aos primeiros leitores de Pedro, são os mesmos que os cristãos sofrem em todo o mundo.

Para refletir: As provas e os sofrimentos alcançam a todos os cristãos e nenhum filho de Deus está livre deles. Entretanto, é bom saber que o Senhor está no controle de tudo. A mensagem de hoje é uma exortação, um estímulo, para que ninguém se esmoreça. Alguns, neste exato momento, passam por lutas. Umas difíceis e complicadas, outras um pouco menos, mas a admoestação é para todos. Lance tudo sobre o Senhor! Desenvolva a sua fé e confiança.

Nele, que conhece o que você enfrenta e tem o controle total da sua vida,

Pr. Natanael Gonçalves