Uma Fome Irresistível.

fome1 Pedro 2:1-3Deixando, pois, toda malícia, e todo engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo, se é que já provastes que o Senhor é benigno.

Quem estuda o livro de 1º Pedro, deve notar que ao iniciar o capítulo 2, o autor continua tratando dos temas que ocupavam a sua mente nos últimos versículos do capítulo anterior. Estes são:

1) A relação do cristão com outras pessoas.

2) Sua relação com a Palavra de Deus.

Em 2:1, a lista de pecados que o crente deve evitar são erros que se cometem no relacionamento com outras pessoas. São o oposto do amor que Pedro mandou em 1:22. O viver debaixo das pressões de uma sociedade hostil pode provocar algumas emoções e condutas negativas. Aqui está a lista:

Malícia é o impulso interno que deseja fazer dano a outra pessoa.

Engano significa literalmente “fisgar com uma isca”. Esta palavra fala de mentir ou dissimular para despistar e manipular.

Fingimento ou hipocrisia está ligado diretamente a malícia e ao engano, ou seja, uma pessoa que desenvolve a malícia e pratica o engano, deseja esconde-lo. Finge ser outra coisa com o fim de ajudar a melhorar a reputação pessoal ou para conseguir um benefício.

Invejas e murmurações. Para ele essas coisas estão ligadas. As murmurações falam de acusação e difamação. Portanto, deixar essas coisas, significa, no dizer de Paulo, “fazer morrer a natureza terrena.”

Cada vício surge daquele que o precede, de modo que forma uma genealogia dos pecados contrários ao amor. Da malícia, nasce o engano; do engano nasce o fingimento; do fingimento nasce a inveja e da inveja, a murmuração. Na cerimônia do batismo, alguns cristãos primitivos possuíam o costume de tirar a roupa antiga e vestir uma túnica branca para indicar a mudança nas atitudes e conduta que resultam como consequência de receber a Cristo como Salvador. Possivelmente, Pedro tem em mente que esses pecados, são como a roupa suja da vida anterior que o cristão deve tirar e destruir, para poder manifestar o amor de que trata no capítulo anterior (1:22).

O verso 2 mostra o último imperativo na série que começou no capítulo anterior (1.13): “Desejai como meninos recém nascidos, o leite racional ou espiritual”. Pedro quer dizer que todo crente deve desejar a Palavra de Deus com a mesma intensidade com que um bebê deseja seu alimento. Por que? Porque é a única comida que a sua natureza pode receber, e não só ele gosta do sabor, como também o seu corpo a deseja com muita intensidade e frequência e, por fim, a sua vida depende dela.

Cada vez que vemos um bebê chorar porque necessita do leite materno, devemos lembrar que cada filho de Deus deve desejar com todo o seu ser o alimento da Palavra de Deus. A vida espiritual a deseja e sua saúde espiritual depende dela. Por que muitos se desanimam e se sentem fracos e abatidos em suas vidas espirituais? Porque deixaram de se alimentar regularmente com a Palavra da Verdade, e, se o fazem, é de modo esporádico. O Senhor compara Sua Palavra com outros alimentos, por ex.:

Ao pão, porque é um alimento universal e básico para o viver diário (Mt 4:4): “Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.”

Ao mel, porque é doce e saboroso (Sl 119.103): Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doce do que o mel à minha boca.

Ao manjar ou alimento sólido, que se necessita para seguir amadurecendo na fé (Hebreus 5:14): Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto mal.

Nestes versículos, Pedro afirma algumas de suas características como alimento:

1.É alimento espiritual. É para o espirito o que o leite é para o corpo. É o sustento essencial que necessita ser recebido com regularidade e frequência.

2.Produz crescimento espiritual. Pedro afirma: …para que, por ele vades crescendo. Ele quer dizer que as Escrituras provêm a maturidade que necessitamos para confrontar a oposição do inimigo.

O versículo 3 nos diz: Se é que já provastes que o Senhor é benigno.” Isto significa que o homem que já provou a salvação, então, deve possuir aquele desejo intenso de ler e estudar a Palavra, o que, certamente, fará com que a bondade do Senhor se manifeste mais e mais em sua vida. Resumindo, a conversão produz em nós uma fome irresistível por Sua Palavra.

Para refletir: Examine o seu coração para saber se a sua relação com alguém se caracteriza por algum dos sentimentos mencionados no início. Duas perguntas: Você possui essa fome espiritual a que Pedro se refere? O que pode roubar o apetite de ler e estudar as Escrituras?

Que o Senhor desperte a cada coração,

Pr. Natanael Gonçalves