No tópico anterior focamos alguns exemplos do Antigo Testamento. Hoje, porém, voltamos os nossos olhos para algumas passagens do Novo Testamento, onde veremos as mesmas verdades bíblicas com maior clareza. As Escrituras afirmam que a dor pode ser usada por Deus para trazer grandes bênçãos na vida daqueles a quem Ele ama, se, de fato, responderem apropriadamente. Entre outros, podemos ver isso na vida e nos escritos de Pedro e Tiago.

Pedro sabia o que significava ser abençoado por Deus. Antes, porém, de comentar sobre Pedro, é interessante observar que a palavra grega para “abençoado” é “makarios”, a qual, originalmente, significava “feliz”. Com o passar do tempo, a palavra tomou o sentido de alguém que goza de um favor divino concreto. Antes de ir ao ponto, destaco que o problema do ser humano é sempre uma questão de coração e, assim sendo, o Senhor começou a falar às multidões por meio de parábolas. Numa dessas ocasiões, Jesus disse aos discípulos: “Bem-aventurados [makarios], porém, os vossos olhos, porque veem; e os vossos ouvidos, porque ouvem” (Mateus 13:16). Sem dúvida, os discípulos foram abençoados [makarios]. Deus os abençoou ao revelar-lhes as verdades espirituais do evangelho aneladas pelos profetas do Antigo Testamento, mas rechaçadas pelos líderes de Israel naquela ocasião.

Semanas depois, Jesus se dirigiu a Pedro com a mesma designação, mas desta vez foi somente a ele. Mateus 16.17 registra um acontecimento muito especial, mas com um sentimento doloroso. Após Pedro declarar que Jesus era o Cristo, o Filho do Deus vivo, Jesus afirmou: “…Bem-aventurado [makarios] és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus”. Momentos depois veio a dor com a reprimenda de Jesus, quando Pedro tentou impedi-lo de ir à cruz. Para um pescador judeu, tudo isso era demais para um só dia: foi declarado abençoado pela revelação concedida pelo Pai, e logo repreendido pelo Messias, quando falou como um porta-voz do diabo. Desta forma, podemos inferir que Pedro sabia o que era ser abençoado por Deus e, certamente, seria seletivo ao tratar do tema. 

À primeira vista, nos parece que os dois exemplos usados por Pedro em suas epístolas para uma pessoa abençoada por Deus, se contradizem. Quando escreveu aos seus leitores em 1 Pedro 3.14, lhes disse: “Mas, ainda que venhais a sofrer por causa da justiça, bem-aventurados [makarios] sois”. Note que ele não disse: “Sofram, porque depois vocês serão abençoados”. Não; antes, ele afirma que eles estavam num estado de “bênçãos” ao passar pelo sofrimento. Em 4.14, ele repetiu o mesmo conceito: “Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados [makarios] sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus”.

Posso afirmar, e você deve concordar comigo, que isto nos surpreende, assim como, quase tudo o que se relaciona com o sofrimento. Veja bem; com Jacó, em parte, podemos entender que a bênção foi posterior à luta com Deus, e, com Jó, vimos a bênção posterior ao sofrimento ou às provas. Não nos parece confuso afirmar que somos abençoados em meio à dor? Talvez sejamos capazes de ver as bênçãos resultantes de qualquer prova que suportamos, mas será que consideramos a prova como uma bênção para nós? Nos alegramos na medida em que compartilhamos os sofrimentos de Cristo Jesus? Essa questão não pode ser respondida de forma natural, humana. Será que podemos ter uma visão mais clara sobre o assunto nas Escrituras? Bem, meu objetivo é despertar a sua atenção e leva-lo a refletir sobre o tema. Deus tem muito para nos dar e revelar. Prepara-se! Continuamos no próximo tópico…

Que a revelação do Espírito de Deus atinja o seu coração,

Pr. Natanael Gonçalves