Eis que temos por felizes os que perseveraram firmes. Tendes ouvido da paciência de Jó e vistes que fim o Senhor lhe deu; porque o Senhor é cheio de terna misericórdia e compassivo (Tiago 5.11).

É preciso saber que Deus está envolvido no processo do sofrimento com vistas a desenvolver certas qualidades espirituais em nós, como por exemplo a firme perseverança, pois, de outro modo, não estariam em destaque nos escritos de Tiago. Além disso, podemos esperar a bênção, uma vez que já passamos na prova, ou seja, chegamos ao estágio de termos sido aprovados. Assim como Jacó em Peniel, chegamos ao ponto onde Deus desejava que estivéssemos para receber Suas bênçãos, físicas ou espirituais, sabendo, no entanto, que todas elas vêm de Suas mãos generosas e cheias de graça. Uma verdade como essa, deveria ser uma fonte de consolo e de esperança em meio à dor, mas, novamente, isto não acontece sem um esforço intenso e continuado de submissão a Deus.

Devemos orar ao Pai em busca de ajuda ou alívio, convictos de Sua compaixão e Sua misericórdia, coisas que anelamos quando chega o sofrimento. Não obstante, pode ser que a vontade de Deus seja aquela de permanecermos sob a prova ou provas específicas que estamos enfrentando. O Senhor não é indiferente nem incapaz de intervir a nosso favor. Somente está esperando o momento adequado, ou melhor, quando a prova cumpriu o seu propósito e produziu em nós a paciência e aprovou a nossa fé. Em vez de deixar-nos a sós em meio às provas, Deus continuamente nos transforma, tornando-nos parecidos cada vez mais com Jesus, preparando-nos para uma caminhada mais íntima e, como consequência, desfrutar de maiores bênçãos. Nas palavras de Paulo, somos transformados de glória em glória na mesma imagem do Senhor, e isso, fala do caráter cristão (2 Coríntios 3.18).

Sabendo que Deus quer transformar os seus filhos, preste atenção no que vem a seguir: Muitos pregadores e mensageiros, apresentam o caminho da bênção mostrando uma espécie de atalho. Basta você ir a um encontro [com Deus] num final de semana, seguir todos os passos, e então, tudo estará resolvido. Outros ainda, apresentam a solução da quebra de maldições e tantas outras novidades que adentraram no meio da igreja evangélica. As campanhas de oração para conserto de relacionamentos, para a compra da casa própria, para um novo emprego e tantas outras coisas, são abundantes em muitas igrejas dos nossos tempos. Não quero afirmar que não devemos orar por essas coisas, mas sim que Deus pode usar situações complicadas em nossas vidas com o propósito de nos transformar. Portanto, fique atento! As mensagens de Pedro e de Tiago não estão presentes nesses púlpitos. Muitas vezes, não são as circunstâncias que necessitam de mudanças, mas nós mesmos. Diante disso, faço uma pergunta: como está a sua vida cristã? Você está envolvido no processo diário de transformação? Você consegue ver a mão de Deus em meio às lutas e provações? Sua paciência e perseverança estão sendo desenvolvidas sob à dor e o pranto? Você luta com os sentimentos de jogar tudo para o alto? Reflita sobre o que você acabou de ler e ore pedindo ajuda a Deus. Podemos orar por isso e devemos orar por isso. Submeta-se completamente ao Senhor e caminhe dentro do Seu propósito. Continua no próximo tópico.

Que o Espírito Santo toque o seu coração e o abençoe grandemente,

Pr. Natanael Gonçalves