Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar (1 Pedro 5.10).

Se você perguntar a um americano que mora em áreas suscetíveis a furacões se ele já viu ou participou de algum, certamente a resposta seria um sim. Todavia, penso que a maioria não sabe o que é isso. O filme “Twister”, quem assistiu concorda, revela uma devastação após a passagem de um desses furacões temidos por quem vive em áreas comprometidas com essas forças da natureza. Cidade arrasada, casas destruídas, veículos amontoados, árvores arrancadas desde a raiz e arremessadas para pontos distantes ou até mesmo colaborando na destruição de moradias, e a tudo isso se soma o que não pode ser consertado: perda de vidas! Quem esteve no epicentro de um desses, pode ter experimentado a dor da perda de entes queridos, como também de coisas materiais.

A vida de algumas pessoas se parece com a situação daquelas que se encontram no meio de um furacão ou no angustiante e desalentador momento de avaliar os danos, depois da borrasca. Algumas apenas começaram, enquanto outras estão em meio à dor. O vendaval, todavia, ruge. Sim, podem escutar o som dos estrondos e muitos se perguntam quanto tempo durará a tormenta. A angústia em avaliar as gigantescas perdas apenas mostra que seus piores temores se fizeram realidade. Às vezes, essas perdas são tão grandes que acabam refletindo a incapacidade da pessoa de ordenar a mente para saber como começar a reconstrução. Então, elas chegam à conclusão de que não podem, por seus próprios meios, se refazerem de tal desastre. Para algumas, suas vidas foram alteradas para sempre, devido à perda pessoal e à dor que sofreram.

Se você como cristão experimenta a tormenta do sofrimento, a carta de 1 Pedro contém chamados à esperança. A tempestade abordada por Pedro possui uma origem espiritual, porém sua devastação é tão visível fisicamente como a passagem de um furacão. No texto acima, ao apresentar uma promessa do que podemos esperar de Deus, Pedro escolhe palavras que descrevem a reconstrução e a reparação.

Hoje é apenas uma introdução ao novo Tomo, mas asseguro que vamos caminhar nessa trilha com vistas a abençoar o seu coração. Portanto, fique atento às próximas publicações.

Que o Senhor te abençoe e te ilumine,

Pr. Natanael Gonçalves