Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós (I Pedro 5.7). 

Pedro usou o verbo lançar expressando um mandado, ou seja, na sua forma original carrega o senso imperativo. Aliás, para um pescador, o verbo era muito pertinente, pois ele sabia muito a respeito da sua aplicação. Os linguistas apontam que o termo, por ser um particípio, significa que ele está estreitamente relacionado com o verbo “humilhai-vos”, do verso 6. Em outras palavras: um modo de saber se estou me humilhando, é comprovar se, de fato, tenho lançado toda a minha ansiedade sobre o Senhor. 

Este versículo mostra que a humilhação não é o caso de dar-se por vencido, enquanto resigna-se passivamente à derrota. Não, de forma alguma. Lançar a ansiedade sobre Ele, é uma declaração ativa de fé. Pedro usou a palavra grega “toda” no singular e isso salta aos olhos de modo muito interessante. É como se todas as suas ansiedades tivessem que ser atadas num molho e postas sobre o Senhor. Ao buscar uma compreensão mais profunda do que Pedro escreveu, chegamos ao entendimento de que toda carga tem que ser lançada, de modo integral, sobre o Pai. Isto, por sua vez, sinaliza uma atitude determinada, uma convicção firme, a qual se tornará evidente na forma como você enfrenta cada episódio de ansiedade que cruze o seu caminho. 

O que a Bíblia exige é difícil para nós: requer que lancemos toda a nossa ansiedade sobre o Senhor. Se retivermos algo da ansiedade, isto será contrário à humildade bíblica. Não sei se você consegue entender, mas, para simplificar o entendimento, seria como se estivéssemos buscando uma alternativa de livrar-nos da origem do nosso sofrimento, em vez de crer que Deus se encarregará do problema. Só para lembrar: “a obediência é impossível sem fé”. O fundamento de Pedro para a ação de lançar toda a ansiedade sobre o Altíssimo, está baseado no fato de que Ele tem cuidado de nós. Às vezes, pode parecer difícil aceitar o fato de que Deus cuida de Seus filhos. Isso ocorre quando certas circunstâncias externas do sofrimento parecem indicar que Deus não está fazendo nada e que não se preocupa conosco. Bem, isso só parece, mas é falso como uma nota de três reais. A verdadeira humildade crê e aceita por fé que Deus nos ama e está trabalhando, mesmo quando não vemos e nem, tampouco, sentimos qualquer evidência desse trabalhar (Isaías 64.4).  

Com toda a certeza, os intentos de alcançar a humildade bíblica serão postos à prova. Depois de tudo, se estes são os pré-requisitos para a intervenção do Altíssimo, encontramos sentido no que Satanás faz para evitar que você se sujeite em humildade a Deus e lance sobre Ele a sua ansiedade. O inimigo poderá insinuar que você merece coisa melhor, que a vida não é justa e, por consequência, Deus também não. Poderá sussurrar: você tem seguido a Cristo até aqui, veja a que ponto chegou a sua vida! Satanás, o caluniador e mentiroso, cochichará mentiras de que Deus falhou, de que não esteve presente quando você precisou e que não se importa com você. Dirá também que você está só e que não há esperança. Pedro não desconhecia o método de Satanás agir, e, por este motivo, ele queria que seus leitores [e nós também] estivessem preparados. O futuro ataque era tão certo para eles, como o foi para Pedro na noite em que Jesus foi traído. Portanto, se você se mostra submisso a Deus, pode estar seguro que o inimigo aumentará a temperatura. Todavia, isso não é para desanimar a ninguém, pelo contrário, se o fogo arder mais um pouco, fique firme, pois a vitória está a caminho. 

Que o Deus de toda a graça, firme os seus passos em todo tempo. 

Pr. Natanael Gonçalves