Ouça a publicação clicando no ícone abaixo.

É bastante significativo o que o Espírito Santo, por meio de João, nos revela acerca da grandeza da nossa salvação em Cristo Jesus. Em 1 João 3.1, o apóstolo anima aos que pertencem a Cristo com esta verdade fundamental e assombrosa:

Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo. É interessante notar o que João continua a afirmar no verso 2: Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é

Observe que o apóstolo escreveu isto a partir da perspectiva de ter sido testemunha direta da glória de Deus em Jesus, e, para nosso espanto, ele acrescenta que seremos como Jesus. Há dois pontos a destacar: primeiro, nos maravilharemos diante da Sua glória. Segundo, pelo propósito extraordinário de Deus, seremos participantes dela. Digno de nota é o texto de Paulo em 2 Tessalonicenses 2.13-14

Entretanto devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados pelo Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade, para o que também vos chamou mediante o nosso evangelho, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo

Moisés e Elias resplandeceram porque estavam na presença de Cristo. Nós resplandeceremos de forma intensa e plena, uma vez que reinaremos com Ele para sempre e seremos como Ele é. 

A terceira testemunha humana foi Tiago. Ele também teria escrito sobre a glória, mas Herodes o executou antes que pudesse fazê-lo (Atos 12.1-2). O mais provável é que teria seguido o exemplo de seus companheiros e escrito com liberdade que havia presenciado a glória de Jesus. Glória, Poder, Majestade e Honra. Tudo isto se viu em Jesus e pertencia a Ele. Uma vez que foi vista, nenhuma glória, terrena ou angelical, pode se comparar. 

A experiência vivenciada pelos três apóstolos foi simplesmente marcante. Apesar de proibidos de falar sobre ela até a ressurreição, eles poderiam, depois dela, esclarecer a todos aqueles que pensavam que Jesus era o Elias ressuscitado, quem, de fato, Ele era. Aliás, o ocorrido no Monte da Transfiguração, foi parte da resposta à pergunta que Jesus lhes fez: Quem diz o povo ser o Filho do Homem?  (Mateus 16:3). Ainda que muitos não cressem, os três podiam afirmar: Não, Jesus não é Elias. Temos visto a ambos em pé cheios de glória, embora era somente a glória do Filho. Escutamos o que o Pai dissera apenas a respeito de Um: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi.

Sim, Ele é o Cristo, o Filho do Deus vivo. Ele voltará em Sua glória e na glória do Pai com os santos anjos. Aleluia! 

Ao finalizar faço uma constatação: Muitos cristãos perderam a perspectiva da glória de Deus. Tranquilos com a ideia de que estão salvos, se envolvem com os seus problemas, dificuldades, sofrimentos e também com os desejos pelas coisas desta vida. Convido você a refletir sobre glória de Deus. Nada há comparável neste mundo, e, todavia, muito espantoso para nós: essa glória nos espera! 

Em Cristo Jesus, o Senhor da glória, 

Pr. Natanael Gonçalves