Os quais apareceram em glória e falavam da sua partida, que ele estava para cumprir em Jerusalém (Lucas 9:31). 

Terminamos o tópico anterior com uma pergunta: por que Deus incluiu Moisés e Elias na Transfiguração? O texto acima oferece uma parte da resposta ao dizer que “falavam da sua partida que estava para se cumprir em Jerusalém”. Deus Pai, em seu plano maravilhoso, concedeu que duas pessoas reconhecidas do Velho Testamento se acercassem de Jesus para essa conversa que Lucas registra. Pense bem: além do Pai, com quem mais Jesus poderia conversar sobe o seu iminente sacrifício? Com os discípulos, certamente não; pois, demonstraram atitudes mundanas em sua busca pessoal de glória e hierarquia, e, desta forma, eles somente poderiam distraí-lo. Como não havia nenhuma figura terrena apropriada, Deus enviou Moisés e Elias. 

Mas, por outro lado, por que os dois? Por que não Abraão, o patriarca da nação ou Davi, o protótipo do rei? Por que não os fiéis Josué e Daniel que mantiveram uma obediência exemplar ao Senhor? Isaías e Ezequiel eram uma boa opção porque ambos tiveram visões da glória de Deus. As duas respostas mais simples são: em primeiro lugar, Deus é Deus e faz como Lhe apraz. Poderia enviar qualquer um dos santos do Antigo Testamento sem dar explicações a ninguém. A segunda resposta mais comum que muitos oferecem, é que Moisés e Elias representavam a lei e os profetas do Velho Testamento. Jesus dava importância a isso, pois, no caminho de Emaús, ensinou aos dois discípulos acerca de si mesmo a partir dos escritos de Moisés e dos profetas. Portanto, aqueles dois no Monte da Transfiguração identificavam a Jesus com as profecias messiânicas. 

Ambas as explicações sobre a presença de Moisés e Elias, são válidas, no entanto, o relato contém muito mais. Talvez pudéssemos obter novas percepções a partir do fato de que Deus vincula a glória com o sofrimento. Vamos examinar esses dois participantes desse evento fantástico e a seguir estabeleceremos uma relação com as promessas de Deus. 

No amor de Cristo Jesus, 

Pr. Natanael Gonçalves