No tópico passado, vimos um pouco sobre Moisés; hoje, contudo, nos detemos na segunda testemunha da Transfiguração, o profeta Elias. Elias ministrava quando a maior parte do povo de Israel vivia em rebeldia contra Deus. Em grande medida, o pecado da nação poderia ser atribuído à influência de seu líder, o malvado rei Acabe. Em 1 Reis 16.30, encontramos um resumo de seu reinado: 

Fez Acabe, filho de Onri, o que era mau perante o SENHOR, mais do que todos os que foram antes dele. 

Em parte, suas ações perversas se deviam ao fato de haver-se casado com Jezabel, mulher que o guiou a servir a Baal e adorá-lo (1 Reis 16:31). Os versículos que seguem enumeram alguns dos pecados de Acabe: Levantou um altar a Baal, na casa de Baal que edificara em Samaria. Também Acabe fez um poste-ídolo, de maneira que cometeu mais abominações para irritar ao SENHOR, Deus de Israel, do que todos os reis de Israel que foram antes dele (1 Reis 16:32-33). Não é de se estranhar que grande parte do povo seguisse Acabe e a Jezabel nessa rebeldia contra Deus, haja vista que a idolatria praticada por eles incentivava os pecados sexuais como parte da adoração pagã. 

Foi nesse ambiente de flagrante apostasia que Deus levantou o profeta Elias, o qual se manteve contrário aos pecados do rei, e foi seu contínuo opositor. Elias profetizou o juízo de Deus, declarando que não choveria sobre a terra enquanto ele não autorizasse. Tal como predisse, assim sucedeu. Em 1 Reis 18.1 lemos que a seca durou três anos, a qual, sem dúvida, causou tremendo sofrimento ao povo. Todavia, quando Acabe se encontrou com Elias, culpou o profeta por essas aflições, qualificando-o como o perturbador de Israel. Elias respondeu com a verdade: …Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do SENHOR e seguistes os baalins (1 Reis 18:18). 

Posto que em Israel se adorava a Baal e a Jeová, o seguinte passo lógico seria confrontá-los. O que demonstrasse ser o mais poderoso seria o verdadeiro Deus de Israel. Elias, como único representante de Deus, convocou os 450 profetas de Baal e definiu a controvérsia diante do povo: Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu (1 Reis 18:21). Note que o versículo afirma que o povo nada lhe respondeu. Isto continua ainda hoje, pois o Senhor sempre nos exige escolher entre Ele e qualquer outra coisa ou pessoa. Permanecer em silêncio é somente outra forma de expressar incredulidade, e Deus não tolera esse silêncio. 

Penso que você conhece a história e se assim não for, leia 1 Reis capítulo 18. Desde a manhã até ao meio-dia, e ainda um pouco mais, os falsos profetas convocaram a Baal. Como este não respondeu, …se retalhavam com facas e com lancetas, segundo o seu costume, até derramarem sangue (1 Reis 18.28). O verso 29 sintetiza a inutilidade de suas ações: …porém não houve voz, nem resposta, nem atenção alguma. Quando, porém, Elias orou, Deus enviou fogo do céu e consumiu o holocausto, a lenha, as pedras e a terra; tudo encharcado de água. A seguir, aquele povo inconstante, ficou boquiaberto e exclamou: O Senhor é Deus! O Senhor é Deus!  Provavelmente o fizeram com a mesma atitude repetitiva a que estavam acostumados nas invocações a Baal. Entretanto, este não era o momento de ensinar algo novo, era o momento de atuar. De maneira bem parecida com a de Moisés quando exterminou aqueles que haviam dirigido a adoração ao bezerro de ouro, Elias continuou demonstrando o poder de Deus ao matar os 450 profetas de Baal. 

Desse episódio, podemos tirar algumas lições. Quais? Desejo deixar esse exercício para você. Se você não sabe como sacar algum proveito, faça algumas ponderações sobre como o pecado nos afasta de Deus, ou sobre o juízo que Deus pode enviar sobre a vida de alguém ou até mesmo sobre uma nação. Reflita sobre a fidelidade, sobre a obediência, enfim, a lista segue. Permita que Deus ministre em seu coração. Continuamos no próximo post. Ainda não terminamos com o profeta Elias. 

Que Deus em Cristo, abençoe a sua vida. 

Pr. Natanael Gonçalves.