E, percorrendo a região frígio-gálata, tendo sido impedidos pelo Espírito Santo de pregar a palavra na Ásia, defrontando Mísia, tentavam ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não o permitiu (Atos 16.6-7).

Gosto de estabelecer algumas comparações, como as que fiz sobre alguns fatos interessantes, verificados em Atos dezesseis. Meu intuito é aprender com as experiências de Paulo e seus companheiros, pois em vários momentos da nossa vida, passamos por situações idênticas (se você não leu as publicações anteriores, sugiro que o faça. Você pode clicar aqui, aqui aqui).

Hoje desejo destacar um aspecto que me chama atenção no modo como Deus tratou com o apóstolo. Um “não” de Deus é um indicador da orientação divina, tanto quanto foi a visão do “varão da Macedônia” (verso 10). Mas, na maioria das vezes, diante da negativa de Deus, nossa inclinação humana sugere que fracassamos. Entretanto, não é este o caso, e assim sendo, devemos negar as inclinações dos sentimentos e estar convictos de que Ele continua alerta e ativamente comprometido na orientação de cada um de nós, os Seus filhos. Quando nos apropriamos pela fé desta verdade, experimentamos liberação. Em lugar de considerar um “não” como um fracasso pessoal, podemos percebê-lo como uma faceta do plano global e particular que Deus tem para nós. Mesmo vivenciando um “não”, deve-se destacar que os elementos da fé e da obediência, necessitam continuar presentes na vida do filho de Deus. Se você está caminhando com o Senhor de forma verdadeira, e Ele lhe diz um “não”, então, qualquer outra coisa está imediatamente descartada. Lucas o enfatizou no texto, apontando a participação ativa do Espírito Santo (verso 6), do Espírito de Jesus (verso 7) e de Deus Pai (verso 10). Andar por fé consiste em ter uma ótica adequada e acrescento mais: é necessário possuí-la, quando alguém viaja para Trôade com o Senhor. A negativa de Deus não equivale a um abandono, mas corresponde, isso sim, à direção divina do processo, ainda que este seja prolongado.

Muitas pessoas exclamam: “Não recebi nenhuma direção! Por que Ele demora tanto?” Antes de mais nada, devemos avaliar mais algumas coisas. Observe: Paulo intentou pregar na Ásia, mas foi impedido pelo Espírito Santo. Tentou ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não o permitiu. Nosso objetivo não é ir para a Ásia ou Bitínia, mas seguir a Jesus. Às vezes, nosso propósito é alcançar um objetivo que pode ser bom e nobre. No entanto, ao chegar próximo dele, somos detidos pelo Senhor. Se Paulo tivesse como objetivo entrar na Ásia ou na Bitínia, ao invés de seguir a Jesus, é muito provável que houvesse experimentado uma amargura em seu coração e provado o desânimo e a desilusão. Da mesma maneira ocorreria conosco. Pensando assim, nossas metas e planos não deveriam ser:

  • Ir para esse ou aquele lugar, mas seguir a Jesus.
  • Alcançar o sucesso em qualquer coisa que façamos, mas seguir a Jesus.
  • Receber somente coisas boas, mas seguir a Jesus.
  • Se destacar na sociedade, mas seguir a Jesus.
  • Galgar os mais altos degraus nos estudos e finanças, mas seguir a Jesus.

Sem dúvida, Deus nos abençoa em todas as áreas da nossa vida e acima de muitas coisas que constam na lista mencionada. Não estou afirmando que não deveríamos orar pelos assuntos e preocupações terrenas. Devemos, antes, saber que Deus é um Deus doador. Ele sabe que temos necessidades e inquietações e nos responde com generosidade. O que devemos ter bem firmado em nosso coração, é que o cristão deve buscar primeiramente o reino de Deus e sua justiça (Mateus 6:33). O verdadeiro cristão tem apenas um objetivo final na vida. Os outros, são adicionais. É necessário estar permanentemente consciente de que o nosso alvo principal é o Senhor e não as Suas bênçãos. É muito fácil se deslizar dessa atitude e, se tal acontecer, um esforço importante deverá ser feito para restabelecer o foco correto. Quando Pedro perguntou a Jesus a respeito do futuro de João, o Senhor lhe respondeu: “segue-me!” (João 21.22). O Senhor continua dizendo o mesmo: que o sigamos por aquilo que Ele é, e não simplesmente por aquilo que Ele pode nos dar. Separe alguns minutos e reflita sobre o que você leu aqui. Deus te abençoe!

Em Cristo Jesus, o Senhor!

Pr. Natanael Gonçalves