Devemos cumprir um propósito (Fp 2:12,14-16)

A primeira instrução que vemos no texto citado para a prática da vida cristã, é que os filhos do Altíssimo devem cumprir o propósito que Deus tem para eles aqui nesta terra. Vamos descobrindo ao caminhar por essa trilha.

Inicialmente, devemos compreender que “desenvolver a nossa salvação” (Fp 2:12) não é o mesmo que “conquistar a nossa salvação”. Em primeiro lugar, Paulo está escrevendo a leitores já “santos” (Fp 1:1), ou seja, aqueles que aceitaram a Cristo e foram separados para Ele. O verbo “desenvolver” tem o sentido de “trabalhar até a consumação”, como quem trabalha em um problema de matemática até chegar ao resultado final. No tempo de Paulo, esse termo também se referia a “trabalhar em uma mina” extraindo dela o máximo possível de minério valioso, ou “trabalhar em um campo” obtendo a melhor colheita possível. O propósito que Deus deseja que alcancemos é a semelhança a Cristo, “para sermos conformes à imagem de seu Filho” (Rm 8:29). A vida acarreta problemas, mas Deus nos ajuda a lidar com eles. Assim como uma mina ou um campo, nossa vida tem um potencial tremendo, e Deus quer nos ajudar a usar esse potencial ao máximo. Uma das coisas maravilhosas da vida cristã é saber que Deus tem um plano para nós (Ef 2:10) e que nos ajudará a levar esse plano a cabo para a glória d’Ele.

A oração “desenvolvei a vossa salvação” provavelmente é uma referência aos problemas específicos da igreja de Filipos, mas também se aplica a cada cristão como indivíduo. Não devemos ser “imitações baratas” de outras pessoas, especialmente dos “grandes homens e mulheres de fé”. Devemos seguir somente o que vemos de Cristo na vida dessas pessoas. “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo” (1 Co 11:1). Todo “cristão exemplar” tem pés de barro e, por fim, pode acabar nos desapontando, mas Cristo jamais nos desapontará.

Em Filipenses 2:14, 15, Paulo contrasta a vida do cristão com a dos que vivem no mundo. Os não salvos queixam-se e discutem, mas o cristão se regozija. A sociedade em que vivemos é “pervertida e corrupta”, mas o cristão é reto, pois orienta a vida segundo a Palavra de Deus, o parâmetro perfeito. O mundo é escuro e nada tem a oferecer. Contudo, os cristãos brilham como luzes resplandecentes e oferecem a Palavra da vida, a mensagem da salvação por meio da fé em Cristo. Em outras palavras, ao permitir que Deus cumpra seus propósitos em nossa vida, tornamo-nos testemunhas mais aptas para um mundo que precisa desesperadamente de Cristo. Ao aplicar essas características a Jesus, podemos ver como ele teve uma vida perfeita em um mundo imperfeito.

É importante observar que esse propósito é alcançado “no meio de uma geração pervertida e corrupta” (Fp 2:15). Paulo não admoesta os cristãos a se isolarem do mundo, nem a viverem em “quarentena espiritual”. Os fariseus eram tão alienados e isolados da realidade que desenvolveram uma justiça própria artificial, inteiramente distinta da justiça que Deus desejava que cultivassem em sua vida. Em decorrência disso, sujeitaram o povo a uma religião de medo e de servidão (Mt 23) e crucificaram a Cristo, porque ele ousou opor-se a esse tipo de religião. Não vemos os propósitos de Deus se cumprirem em nossa vida quando nos isolamos do mundo, mas sim quando ministramos ao mundo.

Para refletir: Como filhos de Deus, a nossa luz deve brilhar neste mundo de trevas como um farol que serve de guia ao perdido. Sua vida reflete essa luz?

Que o amor de Deus, a paz de Cristo e a presença do Espírito Santo, te envolva hoje e por todos os dias da tua vida.

Pr. Natanael Gonçalves

Links Relacionados

Próxima postagem: Há um poder que receber
Postagem anterior: Praticando a vida cristã
ou Veja Mais Estudos Filipenses aqui