Praticando a vida cristã – (Fp 2:12-18) 

Nas palavras de Mark Twain: “Poucas coisas são mais difíceis de suportar do que o incômodo de um bom exemplo”. Talvez o que mais nos perturbe em um bom exemplo seja sua ineficácia em nossa vida. A admiração por um grande indivíduo pode servir de inspiração, mas não traz capacitação. A menos que uma pessoa consiga entrar em nossa vida e instilar em nós suas aptidões, não seremos capazes de nos elevar ao mesmo nível que ela em suas realizações. Precisamos de algo além do exemplo exterior; precisamos de poder interior. 

Paulo acabou de apresentar Jesus Cristo como o grande Exemplo no exercício da submissão. Lemos suas palavras e concordamos com elas, mas como as colocar em prática? De que maneira um ser humano mortal pode esperar alcançar o mesmo nível de realizações que Jesus? Até a ideia de tentar imitá-Lo parece arrogância! Por um lado, tenta-se desenvolver humildade e, por outro, alimenta-se o orgulho ao ousar imitar o Senhor Jesus! 

Na verdade, não se trata de um dilema tão complicado. Paulo não pede que busquemos atingir um alvo impossível, mesmo considerando que, quanto mais elevado for nosso objetivo, mais sublimes devem ser nossas realizações. Antes, o apóstolo apresenta o padrão divino para a submissão e o poder para realizar o que Deus ordenou. “Porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar” (Fp 2:13). Preste atenção nisso: Não conseguimos seguir o exemplo de Cristo por imitação, mas sim por encarnação: “Cristo vive em mim” (GI 2:20). A vida cristã não é uma série de altos e baixos, mas sim um processo constante, em que Deus opera em nós, enquanto praticamos o que ele ensina. Cultiva-se a submissão ao lançar mão das provisões que Deus coloca a nossa disposição. Amanhã, seguiremos com as instruções para a prática da vida cristã, enquanto isso, medite nessa introdução e reflita sobre a sua vida. Vivemos em um mundo de trevas e a nossa relação com Cristo deve mostrar ao presente século o poder do amor de Deus. 

Senhor, opera em nossas vidas para que possamos manifestar a Tua glória! 

Em Cristo, 

Pr. Natanael Gonçalves