Muita confusão há em torno desse assunto da “graça” quando ele envolve a pessoa de Maria. Os ensinos de que Maria é corredentora na salvação do ser humano, bem como intercessora diante de Deus em favor dos homens, dão um entendimento especial, tornando-a uma espécie de doadora de “graça” aos homens. 

Esse ensino não encontra apoio em nenhum lugar nas Escrituras Sagradas. Tomando o texto de Lucas 1:28, vemos o anjo de Deus fazendo uma saudação  a Maria:

“Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres”. 

No verso 30 lemos:

“Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus”. 

O conceito teológico de graça é “favor não merecido”, ou seja, toda dádiva que  vem da parte de Deus, não é por mérito, mas por graça. Pelos textos, nós vemos que Maria foi receptora da graça de Deus e não algo que era inerente a ela. O termo no original usado no verso 28 para “agraciada” é charitoõ, que significa “favorecer grandemente”, por isso algumas traduções trazem em vez de agraciada, favorecida. Sendo favorecida, significa que Deus lhe concedeu um “favor” que ela não merecia. Ao fazer essa análise, se conclui que Maria era uma mulher muito especial a quem Deus escolheu para trazer Jesus ao mundo. Nada mais que isso! Ela não carregava em si mesma uma espécie de divindade nata que pudesse produzir e distribuir graça.

No verso 30 a palavra no original para “graça” é charis, e significa: amabilidade, boa vontade, dádiva. Desta forma, está claro que isso vem de Deus para a sua vida, e Deus tem essa boa vontade, disposição, amabilidade em conceder a dádiva a Maria e por esse motivo ela é “agraciada”. 

Agora, veja o que a Bíblia (edição católica- ave Maria) diz a respeito de Jesus em João 1.14;16 e 17: 

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, a glória que o Filho único recebe do Pai, cheio de “graça e verdade”. “Todos nós recebemos também da sua plenitude “graça sobre graça”. “Pois a lei foi dada por Moisés, a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo”. 

Glória a Deus! A graça do Pai veio por intermédio de Jesus. Ele é o doador da graça, não Maria! E ainda mais uma coisa: O verso 16 diz que nós (todos aqueles que receberam a Jesus como “único e suficiente” Salvador), recebemos de Deus, por meio de Jesus, a graça. Portanto, somos também “agraciados”. 

Que o Espírito de Deus ilumine os olhos do entendimento de todos!

Pr. Natanael Goncalves

continua no próximo post