Estou ciente de que, ao tratar desse assunto, posso ferir algumas pessoas. Já disse e repito que nossa intenção nunca é ferir alguém, antes trabalhamos para despertar os corações, pois esse é o meu papel como pastor. A Palavra de Deus nos manda denunciar os erros. Os profetas o denunciaram, Jesus também o fez ao referir-se às classes religiosas de então (Mt 23.1-39; Mc 12.38-40; Lc 20.45-47), os apóstolos também o fizeram veementemente e Deus nos manda fazê-lo, pois somos como o atalaia (veja Ezequiel 3:17-21; 33:7-11). 

Se apenas este parágrafo de início aborrece você com o assunto, não deixe de ler os posts que faremos. Leia-o de forma desarmada e peça a Deus que ilumine os olhos do seu entendimento para que você possa fazer um julgamento claro a respeito desse ensino herético. Quero que você saiba que o Senhor não deseja que você cometa um suicídio intelectual, mas que você busque com um coração sincero as verdades da Palavra de Deus. As Escrituras Sagradas chamam de “nobres” umas pessoas que aparecem no livro de Atos capítulo 17 verso 11: 

“Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”. 

Por que o Espírito Santo os chamou de “nobres”? Porque eles examinavam a Bíblia para saber se as coisas que os apóstolos ensinavam, estavam de acordo com a Palavra de Deus. Então, se você examinar a Bíblia para saber se o que estamos discorrendo aqui é a expressão da verdade, você também pode ser considerado como aqueles. 

Ora, alguém pode dizer que essa grande igreja que se intitula cristã, também usa textos bíblicos para apoiar a doutrina do purgatório. Bem, nós usaremos os mesmos textos para refutar tal ensino, e oramos ao Senhor para que ele abençoe cada linha escrita e que elas sirvam, também, para abençoar o seu coração. 

Esta publicação é só uma introdução. Fique atento nas postagens seguintes, e que Deus te abençoe imensamente. 

N’Ele que morreu naquela cruz e ressuscitou ao terceiro dia para completar, de uma vez por todas, a obra da redenção, 

Pr. Natanael Goncalves