O Purgatório é a Segunda Chance? 

Tendo em mente que todos partem deste mundo com a possibilidade de pagar o que lhes falta em algum lugar antes de entrar no Céu, bastando para isso que alguém aqui na terra desembolse uma quantia para a igreja, afim de que se reze pela sua alma, proporciona a qualquer um a viver sua vida de forma dissoluta e sem nenhuma responsabilidade para com Deus.  Esse lugar, fonte de renda financeira para a agência de cristo (com letra minúscula mesmo) aqui na terra, chama-se “purgatório”. Ao escrever sobre esse assunto, me sobe certa indignação, pois essa agência toma para si a verdade exclusiva e alega que fora dela não há salvação. Se coloca acima das Escrituras Sagradas e menospreza o sacrifício de Jesus na cruz do Calvário. 

Por que inicio a postagem de hoje com essa introdução? Porque precisamos ter em mente onde e como essa doutrina foi criada. Nos primeiros séculos da era cristã ninguém ia para o purgatório, porque não existia. 

Esse lugar fictício  de purificação foi inventado pelo papa Gregório o Grande, em 593. Houve uma certa relutância em aceitar a ideia (que já contradizia as Escrituras) e por isso o purgatório não tornou-se um dogma católico oficial senão cerca de 850 anos mais tarde – no concílio de Florença, em 1439 (1). 

Nenhuma doutrina aumentou tanto o poder da igreja sobre os seus membros, nem multiplicou tanto os seus lucros quanto essa.  Esse lugar de tormento tornou-se comércio espiritual e essa “agência”  “passou a negociar com as almas dos homens” (Ap 18:13). 

Como disse no primeiro post sobre o Purgatório, meu papel é denunciar os erros e pregar a verdade. Presunção de minha parte? Não, de forma alguma. Aliás, me humilho na presença do Senhor, para que tão somente Ele seja exaltado. Peço, porém, que você acompanhe os próximos posts para submetermos juntos o assunto ao crivo das Escrituras. Antes, contudo, permita-me responder a pergunta título de hoje: O Purgatório é a segunda chance? Não, ele não existe! Espere e confira. 

N’Ele, que “depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas” (Hb 1:3). 

Pr. Natanael Goncalves

 

 

 

(1) A Mulher Montada na Besta – Dave Hunt – Pg 285.