O Purgatório! Exegese defeituosa. 

Já pontuamos, aqui e ali, textos bíblicos que refutam a doutrina do purgatório. Também em post anterior mencionamos um dos pilares em que os teólogos católicos se embasam para desenvolver o ensino de que as pessoas precisam pagar seus débitos, antes de entrarem nos portões celestiais.  Bem, hoje mencionamos um outro texto usado por eles, e, desta vez, não de um livro apócrifo, mas do inspirado livro de Mateus. A citação se encontra no capítulo 12:32. Vejamos: 

“E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no vindouro”. 

Eles (os teólogos católicos) alegam que esta passagem apoia a doutrina do purgatório. Interpretam que os pecados podem ser perdoados tanto nesta vida quanto na futura. Será este o ensino de Cristo em Mateus? 

Não! Conforme já dissemos, essa exegese está completamente equivocada e deturpada. Jesus está afirmando que não há perdão em tempo algum e em nenhuma circunstância, à blasfêmia contra o Espírito Santo. 

Para entendermos melhor o registro de Mateus, abordamos um pouco mais sobre o pecado em questão. Por que a blasfêmia contra o Filho (Jesus) será perdoada e, contra o Espírito Santo não? O que Jesus tinha em mente é que a função do Espírito Santo é a de convencer o homem de seus pecados (João 16:8-11).  Quando alguém blasfema contra o Espírito Santo, está rechaçando a única provisão de Deus para leva-lo ao arrependimento de seus pecados. Quando alguém blasfema contra Cristo, ainda o Espírito pode convencê-lo, contudo, se blasfema contra o Espírito Santo, não há mais esperança e aí Jesus usa da ênfase: nem neste século nem no vindouro.  Com isso, Jesus acentua a impossibilidade total do perdão. 

O evangelho de Marcos ao registrar o mesmo fato, o faz dessa maneira: 

“Qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo” (Mc 3:29). 

A ideia de cumprir pena depois da morte para depois adentrar os portões celestiais, não encontra apoio em nenhum lugar das Escrituras. Cumprir pena não é o mesmo que ser  perdoado.  Pense comigo: Deus perdoa ou não? A pena será cumprida ou perdoada? 

Termino este post de hoje com mais um texto bíblico a respeito do perdão que está em Atos 3:19 (Ave Maria- versão católica): 

“Arrependei-vos, portanto, e convertei-vos para serem apagados os vossos pecados” 

Pedro e João, haviam ido ao templo. Encontraram um homem coxo de nascença e um milagre acontece ali. O homem é curado, e o povo presencia o ocorrido. Pedro aproveita o momento e anuncia-lhes o evangelho. Após um breve discurso, ele insta o povo ao arrependimento e a conversão ao Senhor Jesus, pois a conversão precedida do arrependimento apaga e cancela pecados. Glória a Deus! 

N’Ele que perdoa e redime o pecador, 

Pr. Natanael Goncalves

 

Continua…