O Purgatório! Um desprezo ao sacrifício de Jesus. 

Pensava em terminar as postagens sobre essa heresia chamada purgatório, a qual, engana os “fiéis” e enche os cofres da instituição chamada igreja católica romana. Entretanto, no meu afã em demonstrar pela Palavra da Verdade, o que Cristo realizou de uma vez por todas, possivelmente não termino hoje, mas seguramente no próximo post o farei.

Em primeiro lugar, facilmente se pode observar que os defensores desse ensino, depreciam o sacrifício de Jesus, enquanto por outra, apesar de dizerem que creem na ressurreição de Cristo, a rejeitam com essa doutrina espúria. Se você é católico, perdoe-me pelo meu tom exaltado, todavia fique comigo e leia até o fim e,  depois, tire as suas conclusões.

Uma coisa é acreditar, outra é crer. Acreditar é saber que o avião voa. Crer, é entrar no avião e voar. É assim mesmo. Muita gente acredita em Jesus e no seu sacrifício redentor, mas isso fica só na área do intelecto. Para se crer em Jesus, precisa-se passar pela experiência do novo nascimento e isso é uma obra de Deus em nós. Aqui no site, vou tratar dessa matéria em vídeo e logo publicarei.

Para iniciarmos o assunto, tomo o seguinte texto de João 5:24:

Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.

Essas são palavras de Jesus. Note o grifo nas sentenças. Vamos abordar um pouquinho o que  Jesus falou:

1)   A promessa para aquele que ouve a Sua palavra e crê naquele que O enviou: “Tem a vida eterna!” Quando? Imediatamente! No momento em que creu. Com isso concorda outros textos, como por exemplo: Jo 3:18; I Jo 5:12,13.

2)   “Não entrará em condenação”. Condenação fala do resultado do juízo de Deus. Quem crê em Jesus, não passa pelo fórum de Deus para pagar algum débito. Jesus pagou todo o débito na cruz.

3)   “Passou da morte para a vida”. “Passou”! Tempo pretérito perfeito. “Da morte para a vida”, ação realizada na vida do crente em Jesus. Será que podemos meditar nessa afirmação de Cristo? “Passou…” Que transição!

Assim sendo, a segurança que temos é estar imediatamente na presença de Deus quando deixarmos este mundo, e não, passar por alguma espécie de lugar para cumprir uma pena. Ora, isso não é bíblico! 

Outro texto que desejo comentar é o que se encontra em 1 Co 15.17:

E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.

Paulo está tratando do tema da ressurreição. Alguns, na igreja de Corinto, não criam na ressurreição de Jesus. Por isso, Paulo desenvolve o assunto, enquanto enfatiza as verdades do cristianismo. O Espírito Santo revela que a ressurreição é um dos pilares da nossa fé e, ao fazer isso, demonstra que a obra redentora de Jesus na cruz, culminou com a Sua ressurreição. Agora, observe o grifo “e ainda permaneceis nos vossos pecados”.  O raciocínio aqui é: uma vez que alguém crê na morte e na ressurreição de Jesus e, isto, como um feito de Deus a seu favor, então a “sua fé não é vã” e os seus pecados já não existem mais, pois foram, por Deus, perdoados e aniquilados na cruz de Cristo (Hebreus 9:26; 10:18; Ap 1:5). Todavia, isto não significa que alguém não peque mais, mas se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo (1 Jo 2:1). 

Concluindo esta publicação enfatizo que crer no purgatório, é depreciar o sacrifício de Jesus, pois a teologia católica romana está dizendo com isso que a morte de Jesus não foi suficiente para pagar os nossos pecados. O ensino do purgatório subtrai os efeitos da cruz e da ressurreição, pois para ele, ainda há pecados que precisam de ser purgados num lugar criado na mente de teólogos que dizem crer em Cristo. Aqui está o ponto: eles dizem crer, mas apenas acreditam. 

N’Ele que nos ama e, pelo Seu sangue, nos libertou dos nossos pecados. 

Pr. Natanael Goncalves