A Maldição Hereditária 

Rebecca Brown, em seu livro “Maldições não quebradas”, diz que maldições podem ser herdadas, e nessa visão ela transmite:

“Os pecados de nossos antepassados podem ter um efeito devastador em nossa vida. Os membros da família lutam, odeiam e entram em grande hostilidade entre si. Tais comportamentos com freqüência resultam numa maldição lançada na família ou em toda a linhagem familiar.”

Ainda outra autora diz:

“Se você ou alguém de seus ancestrais deu lugar ao diabo, sua família poderá estar sob a MALDIÇÃO HEREDITÁRIA, e esta se transmitirá a seus filhos. Não permita que sua descendência seja atingida pelo diabo através das maldições de geração. Os pecados dos pais podem passar de uma a outra geração e assim consecutivamente. Há na sua família casos de câncer, pobreza, alcoolismo, alergia, doenças do coração, perturbações mentais e emocionais, abusos sexuais, obesidade, adultério? Estas são algumas das características que fazem parte da maldição hereditária nas famílias, CONTUDO ELAS PODEM SER QUEBRADAS!”

Tomando Êxodo 20.5 e 6 (embora existam outros textos como: Lv 26.39; Nm 14.18; Dt 30.19) se desenvolve o conceito da hereditariedade. O julgamento de Deus sobre a família, segundo esse ensino, permanece até o dia em que for quebrado.

No entanto, surge uma pergunta: O crente em Jesus, a quem entregou a sua vida, que nasceu de novo e ama verdadeiramente o Senhor, e anda em seus caminhos, pode ter uma maldição, seja por causa dos pecados dos seus antepassados, ou por que alguém lhe enviou uma maldição, usando os poderes malignos para isso? Segundo o entendimento de muitos, sim. Mas o que diz a Palavra de Deus sobre o assunto? Antes de tudo, é preciso reconhecer que é verdade que podemos experimentar as conseqüências dos erros da nossa família. Também é verdade que as palavras podem ser usadas para destruir vidas. É igualmente verdadeiro que devemos rejeitar todas as obras das trevas, cuidar das nossas palavras e não sermos coniventes com os pecados de nossos antepassados e parentes ao nosso redor. Entretanto, dizer que Deus faz cair sobre os filhos e os filhos dos filhos, a maldição pelos pecados dos pais, é só metade da verdade. Entendemos que, a conversão e o arrependimento individuais “quebram”, na existência das pessoas, a “maldição hereditária”. Acho importante citar aqui um comentário da Bíblia Apologética sobre os versículos citados acima:

“Este texto está relacionado à nação de Israel e à idolatria, e nada diz a respeito de: espíritos de alcoolismo, adultério, pornografia etc. O que essas passagens ensinam é que o pecado tem efeitos ou conseqüências funestas, não apenas para quem o pratica, mas também para outros. Os filhos que são levados a pecar pelo exemplo dos pais, mostram que não amam a Deus, mas o aborrecem. Não significa que Deus simplesmente amaldiçoa os filhos dos idólatras por serem seus filhos, mas por se tornarem participantes e imitadores dos pecados dos pais. Da mesma forma Deus não abençoa os filhos dos fiéis de forma automática, mas os torna participantes e imitadores da fidelidade dos pais.”

Mas, como é um assunto polêmico e, em muitas ocasiões vemos o conceito de herança, no próximo tópico, abordaremos a respeito de Ezequiel capítulo 18 e veremos mais sobre o tema.