A Maldição Hereditária e o capítulo 18 de Ezequiel. – Parte II

Dando continuidade ao post anterior, pergunta-se: Que tipo de ações o homem deveria praticar para que Deus o considerasse justo? Deus diz nos versículos  6-9:

a) Não comer sobre os montes  b) Não levantar os seus olhos para os ídolos da casa de Israel c) Não contaminar a mulher do seu próximo d) Não se chegar à mulher na sua separação e) Não oprimir a ninguém f) Tornar ao devedor o seu penhor  g) Não roubar  h) Dar o seu pão ao faminto i) Cobrir o nu com roupa j) Não dar o seu dinheiro à usura e não receber  demais   l) Desviar a sua mão da injustiça m) Fazer verdadeiro juízo entre homem e homem n) Andar nos meus estatutos o) Guardar os meus juízos p) Proceder segundo a verdade.

Por conseguinte, não viverá (morrerá) o tal, que:

Comer sobre os montes, levantar os seus olhos para os ídolos da casa de Israel, contaminar a mulher do seu próximo, se chegar à mulher na sua separação, oprimir alguém, não tornar ao devedor o seu penhor, roubar, não repartir o seu pão com o faminto, não vestir o nu, der o seu dinheiro à usura e receber demais, ser injusto, não andar nos estatutos do Senhor, não guardar os Seus juízos e não proceder segundo a verdade, por todas essas abominações que cometeu morrerá, o seu sangue será sobre ele (v.13).

O DIT do NT comentando sobre a justiça acrescenta:

“A justiça no AT não é questão de ações que se conformam a um determinado conjunto de padrões legais absolutos, mas, sim, de comportamento que está em conformidade com o relacionamento bidirecional entre Deus e o homem. … Antes do exílio, de modo geral, a justiça do homem não é tanto assunto de relacionamento com Deus quanto de relação com o próximo, sendo que seu comportamento se regula, de um lado, mediante as relações humanas, e, do outro lado, pela lei de Deus (Sf 2:3). 

Dentro do conceito de justiça no AT., podemos ver ali, também, a graça de Deus se manifestando, pois não são atos que se praticam, que tornam os homens justos diante de Deus, mas a disposição de obedecê-Lo em fé, confere aos homens de Deus, o mesmo título que o próprio Deus lhes atribui: Justos. Por isso a Bíblia está repleta de homens a quem Deus os chama de justos. Justos por que? Porque cumpriram a Lei? Não, de maneira alguma, mas, mesmo assim Deus os chama de justos.

Concluindo este tópico sobre Ezequiel, em síntese, podemos dizer que Deus mostra para nós de maneira clara, que:

  1. A responsabilidade é pessoal e intransferível (verso 20).
  2. Pela conversão e por uma vida reta, a pessoa está livre da maldição dos seus antepassados (versos 14-19).

Este texto de Ezequiel é muito importante, pois vemos como o próprio Deus interpreta Êxodo 20.5. Por outro lado, aplicando aos nossos dias, o verdadeiro crente em Jesus, já rompeu com o seu passado e com as implicações espirituais dos pecados dos seus antepassados, quando, arrependido veio a Jesus Cristo em fé.

Próximo tópico: O novo nascimento rompe as cadeias da Maldição.