A Consciência do Momento.

Ao escrever sobre a doutrina da prosperidade praticada em nossas igrejas, chamo atenção para o momento em que vivemos, pois estamos no tempo profético das Escrituras, onde os homens seriam amantes de si mesmos e muitos procurariam mercadejar a Palavra. Ainda não vou mencionar as bênçãos da fidelidade sem barganha, mas quero falar que em muitas igrejas esse evangelho diluído não provoca mudanças no caráter, nem tampouco uma mudança de vida. As pessoas não são confrontadas na pregação, antes são estimuladas no ter e, se não prosperarem, são julgadas  como “fora do contexto  da bênção de Deus”.

A mensagem e o ensino da doutrina da prosperidade desfoca o líder e toda a igreja, pois os olhos e o pensamento são colocados nas coisas desta vida, enquanto a Bíblia nos diz que eles devem ser postos nas coisas lá do alto (Cl 3.2). Nesse caso, não há mais pureza doutrinaria. “O Jesus atual parece proteger a riqueza dos ricos enquanto que  o Jesus dos velhos tempos mandava ajuntar tesouros nos céus, onde os ladrões não arrombam nem furtam” (Mt 6.19).

A bem da verdade, a liderança que prega e ensina essa doutrina encontra terreno fértil, pois tem muita gente ávida por coisas materiais. A mensagem propaga um dividendo muito alto, se compararmos com as aplicações financeiras, pois qual o banco que paga cem vezes mais o que você aplicou? Isso nos faz lembrar o que Paulo disse a Timóteo:

Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme  as suas próprias concupiscências (2 Tm 4.3).

Em resumo: Paulo está dizendo que as pessoas não querem ouvir o ensino puro do evangelho, antes elas possuem coceira nos ouvidos e o termo refere-se ao desejo que elas possuem em seus corações com relação às coisas desta vida. E, quando ele disse que viria o tempo, eis que o tempo chegou. Podemos argumentar que isso sempre existiu, mas eu observo que não conhecemos na história, um momento tão consciente do cumprimento dessa profecia. As pessoas, hoje, querem ouvir sobre a prosperidade no seu significado de riqueza. As igrejas que pregam essa mensagem vão ter cada dia um número maior de ouvintes, pois os mesmos acham que todos os seus problemas acabarão se eles tiverem dinheiro. Como desejam isso, vão aonde se prega o que querem ouvir.

Meu desejo é despertar mentes e corações para uma volta à Palavra de Deus e, por isso continuamos o assunto amanhã.

N’Ele em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência,

Pr. Natanael Goncalves