Os dízimos e o retorno…

No post anterior, finalizamos comentando sobre a coação feita em muitas igrejas a respeito dos dízimos & ofertas. Em algumas delas, gastam-se 45 minutos ou até mais, só falando de dinheiro e do retorno aos que respondem ao apelo do pastor. A palavra de boas novas, de consolo e de exortação em amor, quando existe, são meros quinze minutos.

Já fui criticado por assumir a posição contrária a essa prática, mas a Bíblia, de fato, faz promessas aos fieis dizimistas. No entanto, o problema consiste, não na promessa de Deus, mas na forma como ela é exposta. Podemos nominar isso como o “Leilão da fé”. Certo escritor disse o seguinte:

“O conhecido leilão de dinheiro continua entre eles: “vamos desafiar o Senhor!  Vamos experimentar o Senhor! Oferte agora tudo o que você tem em dinheiro, cheques, joias ou outros objetos de valor para o Senhor. Use sua fé! Amanhã você terá o dobro do que você der, e a bênção que você quer acontecerá. Não deixe o demônio dominar a sua vontade! O que você tiver na bolsa… Traga tudo na presença do Senhor, e ele abrirá as portas e janelas do céu para o que você deseja. Vamos! Está na hora de experimentar o nosso Deus. Quem pode dar tanto! Ou tanto! E assim começa o leilão!”.

Cresce cada vez mais o casamento da religião com a prosperidade. O ter continua atraindo mais que o ser. O fim principal do homem não é glorificar a Deus e nem se alegrar n’Ele para sempre, mas o objetivo principal do homem é a segurança financeira, são os bens de consumo, é o conforto proporcionado pela máquina, é a beleza do corpo, é a beleza do carro. O que se valoriza, é a criatura e não o Criador, a saúde do corpo e não a saúde da alma, o tempo presente e não a eternidade.

Muito triste isso, mas continuo a falar no próximo post.

N’Ele que se alegra com a fidelidade em amor de seus filhos,

Pr. Natanael Goncalves