Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus (Tiago 4:4).

O sistema do mundo é ordenado e regido por Satanás, seu príncipe; o qual, para realizar o seu propósito, desenvolve uma esfera de mentira e morte (João 8:44). Este sistema mundano atinge e compreende os governos humanos que se põem debaixo de seu controle, influência e poder (Mateus 4:8-9; Lucas 4:5-6). Os governos permitem a imoralidade, legalizam o pecado em suas diversas manifestações, são gananciosos, cobiçosos, etc. O programa diabólico para o governo do mundo é colocar um homem no lugar de Deus e fazer com que ele seja adorado (2 Tessalonicenses 2:3-4). Desde que o mundo tem os seus próprios passatempos (1 João 2:15), Satanás os usa para realizar ações pecaminosas (1 João 2:16). As pessoas não regeneradas e os cristãos mundanos, recorrem às coisas do mundo para usá-las como um anestésico que amortecem as tristezas de uma vida vazia e carente do poder de Deus.

O mundo também tem a sua própria religião ou espiritualidade (2 Timóteo 3:5). Ela se manifesta em um culto formalista, promovido por corações que vivem à margem de Deus (Isaías 29:13) e onde o poder do Espírito Santo não está presente. O diabo introduz no sistema religioso as falsas doutrinas por meio de seus próprios pregadores, os quais proclamam a religião de demônios, enganando as pessoas e conduzindo-as a uma espiritualidade que se conforma com o mundo e com a carne (1 Timóteo 4:1). Essa religião, às vezes, procura dar uma aparência de piedade (Colossenses 2:20-23), mas é adúltera, porque está distante da obediência e lealdade a Deus. A base desse sistema contrário ao Altíssimo, se estabelece no maligno (1 João 5:19). Percebemos que a ideia do apóstolo João em seus escritos, nos faz imaginar que o mundo está adormecido no colo de Satanás, sendo utilizado segundo a sua conveniência e propósito.  Por tudo o que já vimos e muito mais, a posição do cristão no mundo deve ser a de separação total (João 17:15-17), lembrando que ele foi liberto da condição de escravo, para ser transportado para uma nova esfera de liberdade em Cristo (Colossenses 1:13).

Concluindo, o crente no Senhor Jesus foi chamado para viver uma vida separada (1 Pedro 1:15), a qual se manifesta em obediência incondicional a Deus (1 Pedro 1:2), e, assim sendo, uma vida contrária ao mundo, que vive na desobediência como resultado da ação diabólica (Efésios 2:2-3). Portanto, a vida cristã está em oposição a este sistema que envolve, em amizade, supostos cristãos frequentadores de igrejas. Quem assim se posiciona, torna-se inimigo de Deus, e, certamente, sofrerá as consequências… Continuamos na próxima publicação.

Momento de Reflexão: Já estive em algumas festas onde alguns cristãos se pareciam mais com mundanos do que com alguém que professa a Cristo como Senhor. Uns, chegam a dizer: “os tempos mudaram… as coisas são diferentes, hoje”. Esses, todavia, não sabem fazer a distinção entre o santo e o profano (Levítico 10:10; Ezequiel 44:23), e, em vista disso, também não sabem o significado da palavra fidelidade. Essas pessoas amam o que Deus odeia e odeiam aquilo que Deus ama. Como cristão, você é uma pessoa com um coração predisposto e fiel a Deus e à Sua Palavra?

Naquele que ordenou, sede santos porque eu, o Senhor teu Deus, sou santo (1 Pedro 1:16),

Pr. Natanael Gonçalves