Meus irmãos, que adianta alguém dizer que tem fé se ela não vier acompanhada de ações? Será que essa fé pode salvá-lo? (Tiago 2:14 NTLH).

Iniciamos o nosso comentário fazendo menção a um conflito que muitos veem no texto acima. Quando Tiago faz a segunda pergunta retórica: Será que essa fé pode salvá-lo?, tem início o ponto de tensão. Será que ele se referia à fé que pode salvar o homem? Se fosse este o caso, existiria sim, uma contradição entre a teologia de Paulo e a de Tiago. Se isto fosse uma realidade, a Palavra de Deus seria invalidada. Vamos, então, ver do que se trata.

Tiago, de forma alguma está se referindo à fé para salvação, já que todo aquele que crê será salvo (Efésios 2.8-9). Na verdade, o autor faz referência àquele que proclama ter fé, cuja fé, não pode ser real, posto que o mesmo não gera evidências por meio dos seus atos, isto é, por suas obras. O pastor Tiago, também não está ensinando que as obras do homem são necessárias como complemento para a salvação, pois em tal caso, o indivíduo seria salvo pelas obras, o que contradiz abertamente o ensino das Escrituras (Efésios 2.9).

Quando miramos os olhos em Paulo, este também não rejeita as obras, pelo contrário, ele mesmo as afirma: Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus, de antemão, preparou para que andássemos nelas (Efésios 2:10). O cristão não é aquele que possui o nome de cristão, mas aquele que passou pelo novo nascimento, ou seja, aquele que foi criado por Deus por meio da Sua Palavra (1 Pedro 1:23). Essa nova vida (salvação), não alcançamos por obras, mas pela graça de Deus. De modo que, agora, essa mesma graça concede-nos um novo andar neste mundo, o qual se manifesta por meio dos nossos atos e obras. Para o apóstolo Paulo, o objetivo da vida do cristão nesta terra é claro: “para as boas obras”. A preposição “para” significa literalmente “sobre”, e o sentido, é o de andar nas pisadas de Jesus, o qual andou fazendo o bem (Atos 10:38). Portanto, Deus não nos salva por obras, mas nos salva para as obras. O cristão verdadeiro está envolvido com Cristo, se identifica com Cristo e está vinculado com Cristo. E assim sendo, ele anda no caminho das boas obras, as quais manifestam a realidade dessa fé.

As boas obras a que Paulo se refere, foram preparadas de antemão por Deus. Na união vital com Cristo, não somente o cristão está capacitado para fazer as boas obras, como também Jesus se converte no exemplo a seguir (1 Pedro 2:21). Não obstante, essas obras não estão preparadas de antemão para que as fizéssemos, mas para que andássemos nelas. O andar, no texto de Paulo, tem o sentido de “estilo de vida”. Outrossim, as boas obras, ou obras autênticas, são aquelas que foram determinadas por Deus. Essas, em sua máxima expressão, nós as observamos no andar do Senhor Jesus, neste mundo. Ao finalizar, enfatizo que, as boas obras que Deus estabeleceu de antemão, Ele assim o fez, para que cada cristão mostre em sua vida o que é ser, de fato, uma nova criatura em Cristo. Todavia, não coloco um ponto final no assunto. Continuamos na próxima publicação.

Momento de Reflexão: Você confessa que a tua fé em Cristo te salvou? Como você demonstra esta fé ao mundo? Pense sobre isso!

No amor de Deus,

Pr. Natanael Gonçalves