Ora, a língua é fogo; é mundo de iniquidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, e contamina o corpo inteiro, e não só põe em chamas toda a carreira da existência humana, como também é posta ela mesma em chamas pelo inferno (Tiago 3.6).

Do mesmo modo que uma pequena fagulha pode incendiar um bosque, a língua também pode ser um instrumento que põe fogo nos maus desejos e nas mais baixas paixões. Se um pequeno fogo pode produzir um incêndio incontrolável, da mesma maneira o pecaminoso modo de falar, produz consequências irreparáveis. Por este motivo, Tiago apresenta a língua como um fogo que devora e destrói.

Como uma coisa puxa a outra, o autor afirma também que a língua é um mundo de iniquidade, isto é, um elemento conectado com a maldade. É necessário observar que o termo mundo, se identifica como uma ordem estabelecida contra Deus e Sua vontade. Para Tiago, a iniquidade orienta o pensamento e o direciona a um poder estendido para o mal, ou seja, a língua. Outrossim, ele desperta a atenção para o que a língua faz: contamina todo o corpo. O verbo contaminar traduzido do grego “spiloo”, tem o sentido de sujar, manchar e poluir. Assim que, atuando a serviço do mundo de iniquidade, a língua despeja o veneno que contaminará completamente o indivíduo. Observe que este ensino se ajusta plenamente ao ensino de Jesus quando afirmou: “Não é o que entra pela boca que contamina o homem, mas o que sai da boca, isto, sim, contamina o homem” (Mateus 15.11). O Senhor desferiu um golpe na ideia farisaica de contaminação ritual por ingerir certos alimentos. Então, o que verdadeiramente contamina, é aquilo que sai da boca a serviço de um mundo de iniquidade. As palavras não somente contaminam quem as pronuncia, como também alcançam aqueles que as ouvem. Advindo de um coração cheio de pecado, esse modo incontrolado de falar, sempre irá contagiar.

A frase, põe em chamas toda a carreira da existência humana, equivale ao sentido de curso da vida. Deste modo, a ideia seria que a língua é capaz de inflamar as sucessivas etapas da existência de uma pessoa, pervertendo sua própria natureza.

O versículo termina apresentando a língua como inflamada pelo inferno. Tiago, antes, a comparou com uma pequena faísca que incendeia uma selva; agora, especifica que o fogo destruidor da língua procede do inferno. O inferno, correspondente dos poderes diabólicos, é a fonte de energia que inspira, motiva e atua no modo de falar do homem. Por consequência, quem maldiz ou possui o hábito de falar mal, está sob a influência do maligno.

Momento de Reflexão: Você, alguma vez, se deteve neste versículo de Tiago para aprender sobre a língua? Bem sabemos que o mundo está debaixo da influência de Satanás, mas pensar isso na vida de um cristão, pode dar arrepios. A pergunta é: sua língua é usada por Deus? Você é canal do Espírito Santo na vida de outros?

No amor de Cristo,

Pr. Natanael Gonçalves