Introdução.

Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo. Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça no falar, é perfeito varão, capaz de refrear também todo o corpo (Tiago 3:1-2).

Antes de fazermos algumas análises e comentários, é imperioso ver o capítulo três de Tiago com uma visão macro. Quando o fazemos, observamos à distância, que o autor põe em evidência alguns pontos, os quais usaremos para extrair o que o pastor Tiago nos ensina.

A vida cristã de alguém se faz evidente pelas manifestações externas de sua conduta no cotidiano. Uma vida coerente com a fé procura obedecer ao modelo estabelecido na Palavra, posto que, quem professa crer, deve possuir um compromisso pessoal com a obediência. Uma das formas em que se manifesta a realidade de uma nova vida, é a maneira de falar. Tiago, então, dedica vários versículos a essa questão, considerando-a como evidência da verdadeira vida cristã. Ele deseja que seus ouvintes reflitam sobre tal matéria, pois, para ele, a expressão verbal do cristão envolve o seu relacionamento com Deus, com os seus semelhantes, e, em especial, com os seus irmãos na fé.

Todo cristão verdadeiro ama estudar a Palavra de Deus. Por que? Porque ele deseja conhecer o caráter de Deus, sua vontade, seus planos, sua direção e suas promessas. Se você pertence ao time, separei um destaque nesta introdução com a finalidade de leva-lo a meditar sobre o tema em relevo neste capítulo: A língua! Pegue a sua Bíblia e separe um tempo para ver os textos.

A língua é um dos pontos favoritos do autor e percorre todo o livro. Em sua construção dos temas ela aparece em: 1:19, 26; 2:12. Também ele destaca o modo negativo de falar, como a desculpa pelo pecado em 1:13. A bajulação de alguém que denigre a outros em 2:3-6. A hipocrisia religiosa em 2:16. A presunção de fé em 2:18. A difamação em 4:11. A pretensão humana à parte da vontade de Deus em 4:13. A queixa contra o outro em 5:9. Em contrapartida, o autor apresenta o modo apropriado de falar em 5:12-20. 

O que vimos no parágrafo anterior, é a utilização de diferentes ângulos que o autor lança mão, para mostrar a importância da língua na vida do cristão. Ao escrever essa introdução, enfatizo que as palavras de uma pessoa, tal como as suas obras, revelam o seu caráter (Mateus 12:37). Adiciono ainda que a língua pode ser uma grande bênção quando ela é controlada por Deus, mas uma força terrível e destrutiva quando influenciada pelo maligno. Neste caso específico, Tiago e Paulo comparam-na a um veneno, isto é, um veneno mortal, o qual é inoculado na mente e coração de quem ouve (Tiago 3:8; Romanos 3:13).

Finalizando, nos dezoito versículos do capítulo três de Tiago, veremos novamente o autor colocando o dedo na ferida, ou seja, sobre um ponto crucial na vida de muitos dentro da igreja dos nossos dias.

Momento de reflexão: É tempo de reforma! É tempo de arrependimento e de retorno à Palavra de Deus. É tempo de limpeza e de consagração. Quem está disposto?

Naquele que nos chamou para manifestarmos a Sua glória neste mundo,

Pr. Natanael Gonçalves