Quem entre vós é sábio e inteligente? Mostre em mansidão de sabedoria, mediante condigno proceder, as suas obras (Tiago 3.13).

A partir deste versículo, Tiago introduz um novo tema. Na seção anterior, o autor se referiu à língua; agora, porém, irá tratar de comportamento. As duas coisas estão em perfeita sintonia, pois o Senhor ensinou primeiramente o que havia praticado (Atos 1.1). A verdadeira sabedoria é aquela que mantém um perfeito equilíbrio entre o que se diz e o que se faz. Tiago inicia a frase do verso acima com mais uma pergunta retórica. Penso que o propósito do autor não é exigir uma resposta de seus leitores, mas que eles reflitam e façam um exame de suas próprias vidas.

Como sabemos, Tiago dirigiu esta carta aos judeus convertidos que estavam dispersos. Alguns, entre eles, desejavam ser mestres e por esta simples razão, não eram sábios e nem entendidos. Para demonstrar a realidade do verdadeiro mestre, Tiago introduz um teste para avaliação. Esse teste consiste em uma evidência visível, isto é, tal pessoa deve expor a veracidade de seu dom e de sua capacidade por intermédio de sua conduta. Na mente do autor, não se pode medir um mestre por aquilo que ele diz, no entanto, pelo seu procedimento, o mesmo poderá comprovar o que ensina. Desta forma, o verdadeiro instrutor cristão, instrui não somente com palavras, mas, sobretudo, com o seu exemplo. Nessa mesma linha vemos o caso de Timóteo, pois, aqueles que o desprezavam por ser jovem, o aceitariam pelo seu exemplo de vida (1 Timóteo 4:12).

Ao cristão que se considera sábio e inteligente lhe é exigido que demonstre essa realidade por meio de seu condigno proceder. Não se trata de uma opção, mas da necessidade de uma evidência visível, a qual o crente em Cristo mostrará por sua boa conduta de vida. Todavia, é bom afirmar que esse proceder não é esporádico, mas, firme, constante e que se desenvolve diariamente no seio da família, da sociedade e da igreja. Note que o autor enfatiza o procedimento do cristão e, nesse contexto, recordamos que aquele que ensina a outros, dever ser uma pessoa fiel (2 Timóteo 2:2). A fidelidade, porém, não se mostra em palavras, mas em ações próprias de um cristão fiel. Destaco, no entanto, uma observação importante: não é sábio quem conhece muito, mas quem vive conforme a vontade de Deus.

As atitudes ou ações que manifestam a verdadeira sabedoria e capacidade, são evidenciadas pela mansidão, coisa, aliás, própria do discípulo de Cristo. Aprender do Senhor é mais do que adquirir conhecimento, pois não se trata de um assunto intelectual, mas de uma relação e identificação pessoal com Aquele que Se entregou na cruz por nós.

Finalizando, não tenho receio de afirmar que a mansidão deve ser a forma natural do caráter de cada cristão, já que a mesma não se expressa por submissão a um mandamento, mas por comunhão com o Salvador. Portanto, quem entre vós é sábio e inteligente? Mostre em mansidão de sabedoria, mediante condigno proceder, as suas obras. 

Momento de Reflexão: Como cristão, você se considera sábio e inteligente? Sua vida demonstra mansidão? Reflita sobre isso!

No amor de Cristo,

Pr. Natanael Gonçalves