Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, (Tiago 1:2. Ler 1-12).

Na seção que abrange os versículos de um a doze, Tiago desenvolve sete princípios para enfrentarmos a tribulação, e aqueles que possuem uma fé viva, aplicarão estes princípios para vencê-la.

1. Uma atitude Positiva

Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações (verso 2).

Interessante como Tiago nos chama atenção no verso acima. O Novo Testamento judaico usa o termo “considere tudo como gozo...”. Considerar o que? Steven Runge afirma que o autor estruturou esta declaração para nos dar um tempo para pensar antes mesmo de manifestar o que ele tem em mente. Steven entende que o imperativo de Tiago nos desafia a repensar o que consideramos como uma atitude negativa.

Não obstante, Tiago segue seu pensamento e oferece a primeira ajuda para a vitória em meio a aflição: assumir uma atitude positiva, isto é, o cristão deve ter “toda alegria”. Nada no texto indica que devemos nos conformar ou nos resignar diante da tribulação. Faço esta observação porque muitos já ouviram aquela frase: “você tem que se conformar porque essa situação já havia sido designada”. Não vemos, contudo, uma indicação para tal. A atitude positiva soa como uma ordem de Deus e deve ser uma realidade prática na vida do cristão, pois ela se baseia no reconhecimento da veracidade dos problemas que enfrentamos. Quando identificamos a real situação, podemos ter gozo verdadeiro e transbordante mesmo em meio à aflição, pois é exatamente neste momento, que reconhecemos o trabalhar de Deus para realizar seus propósitos através das tribulações e problemas que enfrentamos.

2. A Perspectiva Divina

Sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência. Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma (versos 3-4).

Para que a alegria se manifeste nas aflições, não podemos ver as coisas simplesmente do ponto de vista humano, mas sobretudo, do ponto de vista de Deus. Não se trata de negarmos as aflições, mas de compreendermos o real sentido delas. O Senhor permite as aflições com a finalidade de produzir maturidade (…sejais perfeitos e completos) em cada um de seus filhos. Se temos essa perspectiva, podemos nos regozijar, pois estamos convictos do bom propósito de Deus para as nossas vidas. O Altíssimo envia tribulação para produzir paciência na vida dos seus. Essa paciência segue trabalhando para produzir a perfeição. Aceitamos a prova porque sabemos Quem a enviou, ou seja, um Deus de amor que deseja aperfeiçoar-nos buscando sempre o melhor para os seus filhos. O alvo do processo é chegarmos à maturidade e sermos tudo o que Deus deseja que sejamos, percebe? Ao compreender essa verdade podemos experimentar as provas com regozijo.

Momento de Reflexão: O cristão deve ter em mente que Deus é soberano e dispõe a sua vontade como quer. Os Seus caminhos são mais altos que os nossos e Ele trata com cada um de Seus filhos em particular. Deve lembrar, porém, que Deus é amor e que a sua vontade é boa, perfeita e agradável (Romanos 12.2). Isto posto, saiba: sua vida está nas mãos do Pai e Ele tem o melhor para você. Diante das provas, respire fundo e… Se alegre!

No amor de Deus,

Pr. Natanael Gonçalves

Continua…