Descanse na paz de Cristo 

Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize (João 14:27). 

Paz interior 

Um humorista americano certa vez comentou: “Meu terapeuta me disse que a maneira de alcançar a verdadeira paz interior é terminar o que começo. Até agora eu terminei dois pacotes de bolachas e um bolo de chocolate. Já me sinto melhor.” A despeito da brincadeira, o próprio humorista sabe que o caminho para a paz, não é assim tão fácil e saboroso. 

Apenas paz e sossego 

Quando falamos de paz, a verdadeira paz que não se fundamenta nas circunstâncias, tocamos num ponto crucial para todos. Essa paz produz aquela calma de espírito que qualquer pessoa pode ter, mesmo quando enfrenta uma tempestade violenta em todos os sentidos. Alguém contanto um testemunho a certa altura disse: “os momentos mais felizes da minha vida foram quando eu estava em paz. Dentro do meu coração, eu não tinha preocupações, ansiedades ou fardos esmagadores. Apenas paz e sossego”. Será que ele traduziu ou expressou de forma correta esse sentimento? 

Ladrões da paz 

A paz que o mundo dá, é um tipo de paz momentânea e não duradoura. Por outro lado, Jesus oferece um outro tipo de paz que ninguém pode roubar. Assim sendo, muita gente pensa que esta oferta do Salvador é algo automático que se instala na vida de quem O recebe. Eu não discuto isso, mas para que tal aconteça, é necessário se apropriar pela fé das promessas de Deus, coisas que vamos falando nos próximos textos. No entanto, chamo a sua atenção para situações que estão tentando roubar a paz de muitos cristãos: pressões, adversidades e gente complicada. Dessas três conjunturas, não há como fugir, haja vista que vivemos num mundo de pecado e lidamos com elas o tempo todo. Não obstante, essas situações, via de regra, produzem ansiedade e preocupação, fazendo com que a paz vá para baixo e a pressão arterial suba às alturas. 

Conclusão 

Este texto serve apenas como uma introdução ao tema. No entanto, algumas perguntas se fazem necessárias para construirmos o que virá a seguir: “Como você pode produzir o fruto da paz com todas as pressões com as quais lida?” “Como experimentar a paz com todas as adversidades que você enfrenta?” “Como ter paz lidando com gente complicada que você tem que aturar?” O apóstolo Paulo experimentou uma paz inexplicável e invencível nas mais difíceis circunstâncias. Com a autoridade de quem provou as pressões, os problemas e gente complicada, Paulo vai nos dizer o que é a paz e como encontra-la. Assim sendo, devemos ouvir o que ele tem a dizer, mas isto, nos próximos episódios. Não perca!

Que o Príncipe da Paz, inunde o teu coração com a Sua paz, 

Pr. Natanael Gonçalves