O bem que não está à venda 

Para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie (Efésios 2.7-9). 

Problemas financeiros 

Você já viveu ou vive em circunstâncias complicadas que envolvem finanças? Já passei muitas dificuldades e também ouvi histórias de pessoas que não conseguiram pagar suas próprias contas e, algumas delas, tiveram que devolver bens que compraram. Esse tipo de experiência pode abater e trazer vergonha às pessoas de bem. Quando qualquer pessoa não pode comprar o que precisa, tipo coisas de necessidades básicas, certamente o sentimento de angústia e de impotência batem com força. Por outro lado, há fatos que podem produzir um certo ânimo nas pessoas que se acham injustiçadas com a situação. Por exemplo, coisas como a queda de preços ou um ganho inesperado que resulta em um poder de compra maior. 

Não se pode comprar tudo 

Não obstante, é preciso estar consciente de que o dinheiro não pode comprar tudo e algumas coisas não estão à venda. Boa saúde, um casamento harmonioso e fortalecido, filhos bem ajustados, amizades preciosas e um bom nome, são apenas algumas das coisas que envolvem a vida com significado e que não estão à venda. E o que dizer do acesso a uma vida com Deus? Bilhões de pessoas ao redor do mundo tentam comprar seu acesso a Deus. Há milhares de religiões no planeta e, todas, menos o cristianismo verdadeiro, seguem o caminho do esforço próprio. Quando me refiro ao cristianismo verdadeiro, estou falando do cristianismo bíblico e comprometido com a Palavra de Deus. Esse cristianismo não faz negócio e não vende o acesso a Deus, antes, o acesso é oferecido a todos e totalmente gratuito. Não há o que pagar. 

O caminho do mérito 

Em todas as partes da Terra você ouvirá correntes comuns de pensamento, tais como: “eu tento ser apenas uma boa pessoa”, “tento seguir e guardar os dez mandamentos”, “sigo o caminho que acabará com o todo o sofrimento”, “sigo os pilares do Islã”, “sigo os meus bons impulsos e não faço mal a ninguém”, “procuro fazer caridade e ajudar os outros”. Estes são os caminhos das boas obras e da sinceridade de muitos. No entanto, todos eles são formas de trabalho próprio para conquista de mérito diante de Deus, como se Deus vendesse a salvação ou o acesso a ele, mediante o que muitos pensam e fazem e, como disse, até mesmo em sinceridade de coração. 

Conclusão 

A lógica parece funcionar, já que nada é de graça nesta vida. Com este conceito crescemos e com o passar do tempo ele foi sedimentado em nosso coração. Esta condição produziu raízes em nós, pois quando alguém oferece algo que valorizamos, perguntamos logo quanto custa. Penso que a partir desse conceito foi formulado o ditado que aprendemos desde cedo: “quando a esmola é demais, o santo desconfia”.  No entanto, como a Bíblia é verdadeira, ela destrói esse conceito e muda tudo. Deus Se relaciona conosco por meio da graça, e nós nos relacionamos com Ele por meio da fé. Mas, o que é graça? Graça é uma das expressões do amor de Deus. Talvez o melhor conceito é o do “amor que desce”. Cada vez que se fala de graça, há um entorno de descida de Deus ao encontro do homem em suas necessidades. Reflita! 

Que Deus em Cristo, toque o seu coração com sua maravilhosa graça, 

Pr. Natanael Gonçalves